.

.

segunda-feira, 16 de janeiro de 2017

TRIBUNAL ABSOLVEU O PRESIDENTE DA CÂMARA DE ALPIARÇA


Mário Pereira, presidente da Camara de Alpiarça foi absolvido no processo que lhe moveu Francisco Cunha Vereador do movimento ‘Todos por Alpiarça’
Recorde-se que Francisco Cunha apresentou queixa contra o presidente da Câmara com o fundamento de que o ofendeu com o uso de palavra obscena.


As causas


quarta-feira, 24 de setembro de 2014



Vereador da oposição (Francisco Cunha) apresenta queixa-crime contra o presidente

Depois de ter sido mandado "para o c...", Francisco Cunha queria que o presidente da câmara pedisse desculpa, mas isso não aconteceu. Mário Pereira destacou importância do "respeito e correção".



O vereador do PSD na Câmara Municipal de Alpiarça vai avançar com uma queixa-crime contra o presidente da autarquia por insultos. Após uma acesa troca de palavras entre o vereador Francisco Cunha e o presidente Mário Pereira na reunião camarária de 10 de setembro, o autarca ter-se-á virado para o representante do PSD e dito “vai para o c…”. Francisco Cunha exigia um pedido de desculpas, mas como este não surgiu, vai avançar para a Justiça.
“Não vai haver conversa: vai seguir queixa para o Ministério Público”, afirma Francisco Cunha, vereador independente eleito pelas listas do PSD, que se define como “uma pessoa que não tem medo de dizer o que pensa” e tem feito oposição ao executivo liderado por Mário Pereira, a cumprir o segundo mandato eleito pelas listas da CDU. O presidente da autarquia não esteve disponível, até ao momento, para comentar a decisão do vereador.
Depois de uma reunião muito exaltada a 10 de setembro, Francisco Cunha esperava que na reunião seguinte, a 19 de setembro, Mário Pereira apresentasse um pedido de desculpas, mas o autarca não se referiu ao assunto. “Gostaria de registar o tom extremamente correto” das intervenções, disse apenas.
“Não somos obrigados a concordar todos com as opiniões de todos, temos toda a liberdade de colocar da forma que entendermos e veicularmos as opiniões que entendermos nesta base do respeito e correção”, afirmou o presidente.
Também o vereador do PSD não quis confrontar explicitamente Mário Pereira.
“Antes de passar aqui aos assuntos que são de facto importantes, houve na última reunião situações completamente anómalas. Eu tenho dez minutos para falar, dez minutos é de facto muito pouco para resolver os problemas que Alpiarça tem. As palavras têm importância consoante as pessoas que as proferem e cada um ajuizará como entender os atos de cada um”, disse.
Na semana passada, na véspera da reunião de câmara, o presidente do município admitia a hipótese de pedir desculpa a Francisco Cunha, mas só na condição de o vereador fazer o mesmo. É que, antes de Mário Pereira dizer ao opositor para ir “para o c…”, o vereador havia-lhe chamado mentiroso, com a “intenção (…) de causar instabilidade”, acusa o presidente.
“Isto sempre foi um regabofe. Nunca tiveram [os executivos da CDU] uma oposição que se preocupasse”, afirma Francisco Cunha para explicar a troca de palavreado menos comum. Por seu turno, Mário Pereira acusa o vereador de ter “uma atitude provocatória”  que contraria os “bons relacionamentos” que sempre diz ter havido na autarquia.

Sem comentários:

Enviar um comentário