segunda-feira, 20 de novembro de 2017

"Sábados a Contar"


ARTIGO DE OPINIÃO: Total apatia

Por:
RODOLFO COLHE
Presidente da Juventude Socialista de
Alpiarça


Total apatia

Já ultrapassamos em mais de um mês e meio as eleições autárquicas, tempo mais que suficiente para perceber que pouco ou nada irá mudar, certo é que já mudaram na orgânica interna do município, no que diz respeito aos funcionários mais do que no que diz respeito ao município.
No que diz respeito aos funcionários do município a alteração é natural, uma vez que o número de encarregados que a maioria CDU já promoveu durante os seus últimos mandatos no poder é de todo anormal. No entanto, espero que as pessoas “promovidas” tenham muita sorte no desempenho dessas funções porque provavelmente precisarão dela para compensar as dificuldades do executivo. Confesso que apesar de achar que existem muitos indivíduos qualificados na CMA, para mim não são naturais tantas alterações em todos os mandatos. Isso só se deve ao facto de a gestão do pessoal por parte do executivo ser tão pouco criteriosa e nem sempre ter por conta em exclusivo a competência. Para que não pareça uma crítica aos funcionários, reforço que os funcionários não têm culpa absolutamente nenhuma desta troca de cadeiras, e para que conste não foi apenas a CDU que fez promessas a funcionários e a precários com passagens pela autarquia, mexendo com os sentimentos das pessoas que muitas vezes passam por dificuldades.
Mais preocupante que tudo isso, é a falta de alteração da dinâmica, ou seja, estamos parados. E parados vamos continuar, imagino até porque, que eu saiba e assumo caso esteja errado, nada está sequer planeado para que a época natalícia se faça sentir em Alpiarça. O ano passado propus neste espaço de opinião um concurso de montras que obrigasse as pessoas a ir ao comércio da nossa terra, o executivo municipal (não acredito que por via dessa minha proposta) enviou uma carta aos comerciantes para embelezarem as montras propondo algo similar a um concurso. Claramente a ideia do executivo não resultou, e em nada ajudou o comércio e a época natalícia. Confesso que me preocupa esta falta de actividade em Alpiarça, não só porque demonstram falta de ideias mas principalmente porque na minha opinião esta falta de dinâmica do concelho afasta os jovens e não atrai ninguém para o concelho.

Aqueles em quem o povo depositou a sua confiança, que cumpram ou façam cumprir o prometido para que Alpiarça volte a ser um lugar bem mais agradável de viver.

sábado, 18 de novembro de 2017

O QUE IRÁ SER DE ALPIARÇA SE ISTO ACONTECER?


“Em matéria de indignação, de resto, é melhor que vão preparando os teclados.  Os CTT poderão estar na iminência de fechar dezenas de balcões, muitos dos quais no interior, devido ao fracasso absoluto que foi a privatização. Ou seja, o banco vai matar o que já de si cada vez pior serviço de correios.
Se isto não é um ataque violentíssimos à ideia do Estado e à necessária solidariedade com o interior, não sei bem o que será…”

« E.D.»

sexta-feira, 17 de novembro de 2017

COMUNICADO do Ministério da Administração Interna



Na sequência da informação disponibilizada pelo Instituto Português do Mar e da Atmosfera (IPMA) para as próximas 72 horas, o Ministério da Administração Interna alerta para a necessidade de os comportamentos individuais serem adequados ao risco de incêndio.
Tendo em  conta o tempo seco e a subida de temperatura para valores acima da média para esta época do ano, estão reunidas condições favoráveis à propagação de incêndios rurais.
Assim, é proibida a realização de queimadas em todo o país.
Continua também a não ser permitido:
·  Realizar fogueiras para recreio, lazer ou para a confeção de alimentos;
·  Utilizar equipamentos de queima e de combustão, destinados à iluminação ou à confeção de alimentos;
·  Queimar matos cortados e amontoados ou qualquer tipo de sobrantes de exploração;
·  Lançar balões com mecha acesa ou qualquer outro tipo de foguetes;
·  Fumar ou fazer lume de qualquer tipo nos espaços florestais e vias de atravessamento ou circundantes;
·  Fumigar ou desinfestar apiários com fumigadores que não estejam equipados com dispositivos de retenção de faúlhas.
Recorda-se ainda os cuidados a ter com trabalhos agrícolas e florestais:
·  Manter as máquinas e equipamentos limpos de óleos e poeiras;
·  Abastecer as máquinas a frio em local com pouca vegetação;
·  Guardar todo o cuidado com as faíscas durante o seu manuseamento, evitando a sua utilização nos períodos de maior calor.


DESPORTO




18 De Novembro
Sábado 
10h30m - AD FAZENDENSE x CD ÁGUIAS (Infantis)
Fazendas de Almeirim
11h - EFC OURIQUENSE x CD ÁGUIAS (Sub 11)
Complexo Vila Chã de Ourique

15h - JOGO DE TREINO (Sub 10)
Complexo dos Patudos Alpiarça

19 De Novembro
Domingo 
FUTEBOL
10h30m - CA OURIQUENSE x CD ÁGUIAS (Juvenis)
Estádio Municipal

segunda-feira, 13 de novembro de 2017

ARPICA: CASAL FICOU COM 110 MIL EUROS DE IDOSOS

O Tribunal de Santarém vai começar a julgar a ex-chefe da secretaria da Associação de Reformados, Pensionistas e Idosos do Concelho de Alpiarça (ARPICA) e o marido, que era tesoureiro, por peculato. 


Casal ficou com 110 mil euros de idosos Chefe da secretaria e tesoureiro julgados por peculato, em Alpiarça.



O casal, de 42 e 47 anos, é suspeito de ter desviado 110 mil euros das contas da instituição durante três anos e meio. Segundo a acusação, a mulher ficava com o dinheiro que estava no cofre da associação, proveniente de pagamentos à instituição ou das mensalidades dos utentes do lar. A arguida registava contabilisticamente os movimentos, mas nunca entregou os documentos que justificavam a saída das verbas. A situação foi detetada em 2009 pelo técnico de contas, que alertou a direção da ARPICA. O marido, enquanto tesoureiro, mandava corrigir as diferenças de saldo, justificando-as como erros gerados pelo programa informático. Com este esquema, o casal apropriou-se de 105 mil euros. Os restantes 5 mil euros que constam da acusação foram gastos em artigos como roupa, produtos de higiene e de beleza, alimentos e até tabaco. Uma vez que estava encarregada de ir às compras para a instituição, a arguida aproveitava também para adquirir produtos para si, pagando com o dinheiro da associação. O desfalque foi descoberto numa auditoria financeira às contas da instituição. A arguida, que era chefe da secretaria desde 1999, foi despedida em novembro de 2012. O marido pediu, entretanto, renúncia ao mandato.
Autor: João Pepino
Ler mais em: http://www.cmjornal.pt/portugal/detalhe/casal-ficou-com-110-mil-euros-de-idosos?ref=Bloco_CMAoMinuto

ARTIGO DE OPINIÃO: VIVA A JS, VIVA O PS

Por:
Rodolfo Colhe
Presidente da Juventude Socialista
de
Alpiarça


No passado dia 5 de novembro fui reeleito Presidente da JS Alpiarça, por isso irei cumprir três mandatos à frente da estrutura algo que não estava nos meus objectivos. À cerca de dois meses a minha candidatura a presidente da JS estava fora de questão, uma vez que me aproximo rapidamente dos 30 anos (idade limite da JS, mas convêm explicar que quem é eleito antes dos 30 mantêm-se nos órgãos até ao final do mandato mesmo ultrapassando os 30 durante o mandato), mas tomei a decisão de avançar novamente por vários motivos mas principalmente porque os meus camaradas mais jovens do que eu acharam que ainda podiam usufruir das linhas ligações e do facto de já conhecer o funcionamento interno da JS a nível local, distrital e nacional. Claro que só aceitei este entendimento para ser candidato porque acho que os meus camaradas têm muito valor e há muitos mais jovens com valor em Alpiarça.
Outra das muitas razões prende-se com a falta de cultura política existente no nosso concelho, apesar da forte politização de tudo, os lugares e as decisões são sempre dos mesmos, eu sinto-me na obrigação de pelo menos tentar dar aos militantes da JS Alpiarça a hipótese de estarem nos lugares de discussão não só a nível local como distrital. Ninguém nasce ensinado e os jovens do nosso concelho necessitam de oportunidades para mostrar o seu valor, neste campo já quase que me excluo pois felizmente ao nível da Federação Distrital da JS alguém acreditou em mim e me permitiu aprender e demonstrar valor. Não tem acontecido em todos os órgãos por onde tenho passado mas mesmo assim já me considero um felizardo.
Sei que terei muitas lutas internas e externas para travar, que criarei mais amigos e talvez mais algumas pessoas olhem para mim como um inimigo, sei que será difícil mas é aí que está a diversão.
 Continuar a lutar pelas camadas mais jovens de Alpiarça, não deixando que nenhuma das forças políticas se esqueça das suas responsabilidades e reforçar a participação dos jovens na vida política e cívica do concelho, são algumas das minhas principais prioridades. É minha intenção ajudar a aumentar significativamente o número de jovens que faz política em Alpiarça, é minha intenção ajudar a aumentar o número de jovens que participam na vida do nosso concelho é minha intenção ajudar a aumentar a qualidade de vida do nosso concelho.
Nunca neguei que sou fanático pelo meu país e pela minha terra, sou assim, não o posso negar nem quero, também sou jovem e por isso apressado, mas é com esta identidade que pretendo desenvolver o meu trabalho à frente da JS Alpiarça, não vou agradar a todos mas também não é esse o meu papel. É para mim uma honra poder servir a minha terra.
VIVA A JS, VIVA O PS

sábado, 11 de novembro de 2017

O Agrupamento de Escolas, participou num projecto inovador de promoção da Dieta Mediterrânica



Todos queremos que as nossas crianças tenham a melhor e mais saudável alimentação. É também uma das maiores preocupações dos autarcas e da Câmara Municipal de Alpiarça, com especial atenção dada às cantinas do pré-escolar e primeiro ciclo -- as que estão sob a nossa responsabilidade directa.
Por isso, os nossos técnicos na área da educação, em articulação com a entidade que fornece as refeições escolares, com os professores e educadores e com a direcção, bem como com os representantes dos pais e encarregados de educação, intervêm diariamente para que tal possa acontecer.
Nesta linha, Alpiarça, através do seu Agrupamento de Escolas, participou num projecto inovador de promoção da Dieta Mediterrânica com os agrupamentos de escolas do concelho de Santarém, com excelentes resultados, e que envolveu especialistas em diferentes áreas ligadas à alimentação.
A ementa de hoje foi "saladinha de atum com feijão-frade e batatas e sopa de couve lombarda com feijão vermelho.
Como estamos a chegar ao S. Martinho, à tarde houve castanhas assadas.
«De Mário Pereira»

sexta-feira, 10 de novembro de 2017

ESTÃO DEFINIDOS OS NOVOS REPRESENTANTES DOS ÓRGÃOS POLÍTICOS DA JUVENTUDE SOCIALISTA DE ALPIARÇA JS ALPIARÇA ELEGE NOVOS ÓRGÃOS POLÍTICOS



No passado dia 4 de novembro de 2017 foram eleitos os novos representantes dos órgãos políticos da Juventude Socialista de Alpiarça: 

Rodolfo Colhe mantém-se na liderança do Secretariado Concelhio, depois de quatro anos de mandato cumpridos, tendo a presidência da Mesa da Assembleia Concelhia passado a ser assumida por Daniela Coelho, militante desde 2011. 

Para o próximo mandato, o presidente do Secretariado eleito, Rodolfo Colhe, garante: “Continuar a lutar pelas camadas mais jovens de Alpiarça, não deixando que nenhuma das forças políticas se esqueça das suas responsabilidades e reforçar a participação dos jovens na vida política e cívica do concelho são algumas das nossas principais prioridades.” 

A presidente da Mesa da Assembleia eleita, Daniela Coelho, considera que os próximos anos serão de muito trabalho e crescimento na JS de Alpiarça: “É importante chamar cada vez mais os jovens alpiarcenses à participação política ativa e focar as iniciativas desenvolvidas no concelho, nunca esquecendo a importância dos órgãos regionais e nacionais que nos apoiam. É nesse sentido que pretendemos trabalhar nos próximos anos.” 

Foram ainda eleitos David Ribeiro, Ana Avelino, Tiago Lopes e Inês Martins para o Secretariado Concelhio e Rodrigo Colhe, Pedro Neves, André Vieira e Diogo Colhe para a Mesa da Assembleia Concelhia. 

A JS Alpiarça garante assim a continuidade do bom trabalho realizado ao longo dos anos, provando o empenho em promover iniciativas para o bem comum da população jovem do concelho. 

Desporto




11 De Novembro
Sábado 
FUTEBOL
10h - Águias (Jogo Interno)
Estádio Municipal
10h30m - Águias x NS Rio Maior(Campeonato Distrital)
Complexo dos Patudos

quinta-feira, 9 de novembro de 2017

Apresentação do livro "Frente a Frente com quem sou" de Marianela Valverde"


Uma tarde a acompanhar um dos dias dos passeios de reformados pensionistas e idosos do concelho de Alpiarça


Uma tarde a acompanhar um dos dias dos passeios de reformados pensionistas e idosos do concelho de Alpiarça, nesta leva aos concelhos vizinhos de Salvaterra de Magos (Falcoaria Nacional e Escaroupim) e Benavente (Igreja da Misericórdia e Núcleo Museológico Rural).
Um cumprimento especial aos colegas autarcas e técnicos dos municípios que tão bem nos receberam, bem como aos técnicos da Câmara Municipal de Alpiarça e a todos os participantes alpiarcenses.

«M.P.»

quarta-feira, 8 de novembro de 2017

BARRAGEM DOS PATUDOS CHEIA DE “SUJIDADE” POR FALTA DE OXIGÉNIO



O “Noticias de Alpiarça” esteve hoje na barragem com um pescador. Estivemos a ver a “sujidade verde” que está na água junto das margens.

Uma verdunização que faz com que a água esteja toda “verde” de tal forma que quando os pescadores lançam a linha à água e depois a puxam no “verde” fica uma espécie de “risco” tal é a “porcaria” que está na água.

Pior se torna quando o vento vindo do Casalinho empurra o tal “verde” para junto do paredão que dá um péssimo aspecto a quem visita o espaço.

Os pescadores apresentam várias causas para o sucedido mas sem qualquer base sólida pelo que o “Noticias de Alpiarça” pediu um parecer técnico ao Engenheiro Leonel Piscalho.

Disse-nos  que este “ fenómeno chama-se verdunização e tem a ver com a falta de oxigénio na agua por falta de alimentação, agitação e movimentação da massa liquida. As possiveis doluções seria a minimização dos elementos poluentes alguns dos quais são de facil adopção”.

Acrescentou-nos ainda que Sónia Sanfona tinha “um trunfo na manga para resolver este problema de forma relativa” mas não nos adiantou qual deixando-nos apenas com as causas.

No entanto aconselhou-nos a pedir à Gabriela Coutinho que nos facultasse uma solução porquanto esta ex-vereadora talvez seja a pessoa certa para arranjar “uma solução” nem que “seja com as vozes do além dos falecidos” que a ex-candidata do PSD “entende serem os autores e mentores da barragem.

Não deixou de nos acrescentar que só dirá a solução para acabar com este problema de verdunização se a actual vereadora do PS Sónia Sanfona o  “ entender como útil”.

A fazê-lo então no “tempo certo” Leonel Piscalho dirá como o fará. Até lá o autor da Barragem não dará  "prazer"  algum a quem o “ humilhou” e “mandou bocas”.


Contactamos Gabriela Coutinho para nos dizer a “solução” do problema mas até ao momento da publicação desta notícia não nos deu qualquer resposta.


Após publicação desta crónica, o Eng.º Leonel Piscalho, autor e projectista da Barragem dos Patudos fez-nos chegar a informação com uma das fórmulas para acabar com a verdunização  da barragem:


“Esse fenómeno pode ser combatido com agitação e filtração da água por várias forma ou por reacção quimica à custa de cloro e permanganato de potássio ou hipocloritos. No nosso caso teria de ser uma solução mista mais abrangente incluindo a limpeza das valinhas a montante até para além do Vale da Cigana, dos pesticidas agrícolas e outras formas de poluição devido á exiguidade dos caudais pluviais dos últimos anos”.


O RESTAURANTE/HOSPEDARIA EUROPA FECHOU



“O RESTAURANTE/HOSPEDARIA EUROPA FECHOU.

Inclusive a pedido da dona deixou de constar no Site do Município.
Não sei o que dizer sobre o tema, mas toda a gente se queixa que Portugal continua a pender para o litoral e o decrescimento da população é notória na maioria dos concelhos mais interiores.
«RV»”


Eu acrescentei na minha “página pessoal do Facebook:

 A antiga “Loja do Diamantino” na Rua António da Silva Barroso (Vai-Um) também fechou. Razões? Por exemplo: será culpa dos próprios empresários que se metem em negócios para os quais não estão vocacionados? Será por não atender/servirem a clientela em condições? Será por o concelho em vez de se desenvolver continua “parado no tempo”? Será porque a população em vez de aumentar está a diminuir? Cada um que faça as suas conclusões… porque eu já fiz as minhas há muito e o tempo tem vindo a dar-me razão.

Perguntou-me logo um leitor de “QUAIS AS MINHAS CONCLUSÕES” e se eu tenho algum problema em dizer “QUAIS SÃO”.

Nem mais.

Ai vai algumas das “MINHAS CONCLUSÕES”:

Os eleitos estão acomodados e pouco se preocupam com o que Alpiarça precisa. Desde que as coisas funcionem e não haja muito barulho continuaremos a viver todos no “FAZ DE CONTA” que tudo está  bem;

Qualquer pessoa que tenha “meia dúzia de cêntimos” abre um negócio. Depois não se preocupam se os empregados são gentis ou não como se o cliente tenha que aturar a má disposição dos funcionários;

Enquanto não houver aumento de população Alpiarça nunca progredirá;
Os empresários/investidores tem algum receio de investir num concelho “comunista” como se os comunistas sejam alguns papões;

A POPULAÇÃO ALPIARCENSE ESTÁ ENVELHECIDA e a GERAÇÃO DE JOVENS NÃO VÊM FUTURO algum na terra pelo que planeiam o seu futuro para outros concelhos mais desenvolvidos”;

Quando alguns eleitos (com responsabilidade) participam em manifestações ou à porta de instalações que estão em vias de encerrar as consequências são péssimas para o futuro do concelho e para atrair investidores;

As grandes empresas não investem em Alpiarça porque o próprio regulamento da Zona Industrial quase impede a instalação de grandes fábricas;

Alpiarça é uma terra altamente politizada e os empresários/investidores são alérgicos a sistemas políticos “vitalícios”;

Alpiarça só se desenvolveu com dois presidentes: Armindo Pinhão e Rosa do Céu porque os dois tinham ALGO EM COMUM:

Eram homens que sabiam trabalhar com “números”  (um é “Gestor” outro “Economista”) e sabem que tudo se consegue fazer se soubermos rentabilizar e aplicar  os números (entenda-se dinheiro).

Dificilmente “Engenheiros e Professores” tem queda para empreendedores porque mais não são que “burocratas”.  O tempo provou que assim tem sido em Alpiarça;

Os tais “POLÍTICOS ACOMODADOS” e o partido a que pertencem não gostam da grande indústria porque esta obriga à deslocação de Técnicos com formação superior que precisam de residir onde se situam os locais de trabalho (imaginariamente em Alpiarça);

Por sua vez estes, mais tarde ou mais cedo, vão querer inserir-se  na sociedade local e querem fazer parte das associações e colectividades locais para passar os seus tempos livres ou porque tem ideias diferente das vigentes e querem aplicar as suas mais modernas ou avançadas.

Ao acontecer isto os que se mantem agarrado ao sistema serão destituídos e o sistema politico quer nos governa localmente quererá tudo menos isto porque com as “ideias dos outros, que são mais avançadas, tudo vais mudar” e o “nosso partido nunca mais terá força e voz”;

Mas acima de tudo, para não estar aqui a tarde toda a escrever, o problema de Alpiarça não se desenvolver é porque tudo está POLITIZADO e dependente de uma força politica que teima em impedir o progresso e fazer-nos ver que por estas bandas do Tejo está tudo bem.


Chega.

Rombo de 110 mil euros na ARPICA de Alpiarça sem culpados

A Associação de Reformados de Alpiarça (ARPICA) arrisca-se a nunca recuperar o rombo de 110 mil euros nas contas, a avaliar pela decisão do Juízo Central Cível do Tribunal de Santarém, que absolveu a antiga chefe da secretaria à qual a instituição incutiu a responsabilidade de se apropriar do dinheiro, pedindo uma indemnização do mesmo valor. O tribunal concluiu que a associação não fez prova da culpa da funcionária, realçando que havia outras pessoas com acesso ao dinheiro. A mesma funcionária e o marido, que era tesoureiro da ARPICA, vão ainda ser julgados num processo-crime por peculato, pelos mesmos factos, no qual esta decisão pode ter efeitos abonatórios.

GNR DETÉM 2 HOMENS POR FURTO, POSSE DE ARMA E TRÁFICO DE ESTUPEFACIENTES


Um homem, de 39 anos, foi detido esta terça-feira, 7 de novembro, em Alpiarça, por militares do Destacamento Territorial de Santarém da GNR, por posse de arma ilegal e suspeita de tráfico de estupefacientes.

“No decorrer de uma investigação por posse de arma ilegal e tráfico de estupefacientes, que durava há três meses, foi efetuada uma busca domiciliária, onde foram apreendidas três armas de ar comprimido, estando uma delas transformada para utilização de munições de calibre .22, com silenciador incluído. Foram ainda apreendidas seis doses de folhas de cannabis”, explica a GNR, em comunicado, acrescentando que o detido foi constituído arguido e sujeito a termo de identidade e residência.
«RR»

terça-feira, 7 de novembro de 2017

"Natal Pelas Nossas Mãos" - 2017


Três Companhias de Teatro do Ribatejo levam “As 1001 Noites” a Alpiarça


A Companhia de Teatro Poucaterra, a Chamusc-Arte e o Teatro Meia Via, em coprodução, vão apresentar "As 1001 Noites", a produção mais arrojada que alguma vez se realizou na região centro do País. Serão 16 espetáculos diferentes, de 15 em 15 dias, subordinados aos seus 296 contos.
 
A apresentação às entidades oficiais, patrocinadores e comunicação social ocorreu este sábado à noite no Pavilhão de Exposições da Alpiagra em Alpiarça, onde os 16 espetáculos irão ser apresentados até junho de 2018.
 
Carlos Petisca da Chamusc-Arte, Elsa Vieira do Teatro Meia Via e Rafael Vergamota da Companhia de Teatro Poucaterra do Entroncamento, falaram ao EOLtv poucos minutos antes da apresentação, onde explicaram as intenções deste Ciclo Cultural, que é a “formação do público e de o obrigar a sair de casa de 15 em 15 dias”, uma vez que os 16 espetáculos serão todos diferentes.
 
Esta coprodução vai também dar a conhecer alguns dos 296 contos das 1001 Noites, das quais o grande público só conhece duas ou três.
 
Os espetáculos começam às 21h30, a sala tem capacidade para 150 pessoas e o bilhete custa 5 euros com direito a chá. A estreia é já no sábado dia 11 de novembro.

segunda-feira, 6 de novembro de 2017

ARTIGO DE OPINIÃO: Prevenir para não ter que remediar

Por:
Rodolfo Colhe
Presidente da Juventude Socialista
de
Alpiarça

Prevenir para não ter que remediar

A semana ficou marcada pelos incidentes num espaço de animação nocturna em Lisboa, cujo nome não digo porque não publicito estabelecimentos do tipo. Os incidentes que se registaram foram difundidos por todo o país, espero eu que com consequências não só para o espaço em si mas para aquilo que é hoje em dia uma realidade. Confesso que deixei há muito de frequentar discotecas e bares com regularidade, principalmente os primeiros, e não porque não gosto de me divertir ou de beber uns copos mas exactamente pelo contrário, porque gosto e não o consigo fazer nesses espaços. Na realidade actual, determinado tipos de espaços com determinado tipo de atitudes não só não fazem sentido como estão desactualizados, é pelo menos a minha leitura. Confesso que num mundo tão vasto e diversificado, me faz alguma confusão a ideia de ter uns gorilas à porta a escolher quem entra, não que a selecção não deva ser feita, deve até ser maior, nomeadamente, no cumprimento da lei que impede a entrada de indivíduos alcoolizados ou sob o efeito de substâncias, mas convêm que depois dentro dos espaços também não se vendam bebidas depois das pessoas já se encontrarem alcoolizadas e que, já agora as ditas substâncias ilegais não sejam vendidas dentro dos espaços. É muito importante aumentar a fiscalização e melhora-la, mas também é importante não entrar em cruzada contra os espaços de animação nocturna e nomeadamente contra os seguranças que em muitos casos são pessoas perfeitamente normais que se sujeitam a horários loucos, muitas vezes até como segundo trabalho para poderem ter uma vida melhor. Para mim, generalizar nunca será o caminho para a resolução de nenhum tipo de problema, nem isso nem as tentativas de brincadeira com a situação feitas pelo líder da Juventude Popular, mas vindo desse jovem já esperamos tudo, de mau claro.
A verdade é que este tema merece ser verdadeiramente esmiuçado de forma a percebermos como evitar que se repita, sendo também importante não deixar cair este assunto como outros que ao deixarem de ter tempo de antena deixam de ser importantes.

domingo, 5 de novembro de 2017

ALPIARÇA ORGULHA-SE DOS SEUS FILHOS: ALPIARCENSE DISTINGUIDO COM A MEDALHA “ JOVEM CIENTISTA"


Reverso da medalha simbolizando um cromossoma.


Medalha da SOCIEDADE PORTUGUESA DE BIOQUÍMICA, entregue ao JOVEM cientista Alpiarcense . Distinguido por ser o melhor JOVEM CIENTISTA dos últimos três anos. Prémio entregue em Barcelona em Outubro 2017.



ANDRE SANTOS Investigador Jovem do SPB

Prêmio reconhece trabalho em publicações de alto impacto por jovens bioquímicos portugueses
André Santos recebeu o prêmio de Investigador Jovem do SPB
Oeiras, 25.10.2017
Felicitamos André Santos, ex-alunos da ITQB NOVA, que foi premiado hoje pelo Young Investigator Award da Sociedade Portuguesa de Bioquímica (SPB) pelo trabalho desenvolvido como doutor em Inês Cardoso Pereira Lab . A cerimônia ocorreu durante o 1º Encontro Conjunto das Sociedades de Biologia Molecular e Biologia Molecular Francês-Português-Espanhol , que está ocorrendo em Barcelona.
O Prêmio Jovem Investigador da SPB visa estimular a pesquisa de qualidade feita por jovens pesquisadores em Bioquímica, promovendo e comunicando pesquisa de bioquímica em Portugal. Reconhece trabalho em publicações de alto impacto por bioquímicos portugueses com menos de 35 anos, em instituições de pesquisa portuguesas.
André Santos foi o único destinatário do prêmio, com o trabalho "A proteína trisulfeto casou a redução do sulfato dissimilatório com a conservação de energia", que foi publicado em Ciência e foi destacado em dezembro de 2015
«http://www.itqb.unl.pt/news/andre-santos-was-awarded-spb-young-investigator-award»

sábado, 4 de novembro de 2017

O “FEITIÇO” QUE DIVIDIU O EXECUTIVO AUTÁRQUICO


Com ou sem “feitiço” o certo é que o executivo camarário esteve dividido sobre uma proposta apresentada pela maioria comunista.

Determinado promotor pretendia levar a efeito um evento de música electrónica no espaço do Paúl da Gouxa mas Sónia Sanfona (PS), António Moreira (PS) e Carlos Jorge (CDU) não estiveram pelos ajustes porque naquele local habitam 160 espécies de aves, oito espécies de aves raras e 11 espécies de peixes.

O suficiente para a proposta ser retirada com a indicação de ser escolhido um novo local, provavelmente no Patacão.

Ainda bem que houve uma decisão que defendeu o nosso património porquanto o barulho da música iria prejudicar os habitat’s de aves que por ali existem, algumas únicas no mundo.

Mas a questão que se apresenta é se justifica a realização de festival de música electrónica nos “confins do mundo” onde os milhares de jovens que gostam deste tipo de evento nem sequer virão ao centro de Alpiarça.

A ser feito no Patacão será uma má iniciativa porque em nada beneficiará o comércio local mais sim “meia dúzia” de “feirantes” aqueles que andam como as roulottes de “comes e bebes” às costas.

Deverá sim ser feito em Alpiarça por exemplo, no Largo da Feira.

Poderão argumentar:

“Mas o barulho vai incomodar os habitantes”.

 Se não incomoda com o barulho da Alpiagra porque incomodaria agora?

Basta fazer com que o festival em vez de durar 19 horas, como pretende o promotor da iniciativa, dure menos tempo.

Que comece, por exemplo, às 9 horas da manhã e termine por volta da meia noite.

A realizar-se neste espaço os visitantes são obrigados a entrar e circular dentro de Alpiarça e indiretamente beneficiar o pouco comércio existente.

É altura de dar vida a Alpiarça para que deixe de ser uma pasmaceira


Sónia Sanfona. António Moreira e Carlos Jorge estiveram bem na decisão que tomaram ao defender os interesses de Alpiarça.

sexta-feira, 3 de novembro de 2017

APRESENTAÇÃO DO NOVO EXECUTIVO MUNICIPAL


Reunião com os trabalhadores do Município para a apresentação do novo executivo municipal, hoje, no auditório da Biblioteca.
«De: MP»

Câmara de Alpiarça contra festival de música electrónica no Paul da Gouxa


Executivo camarário decidiu propor à organização que o evento mude de sítio para não afectar a fauna local.

O novo executivo municipal de Alpiarça decidiu contactar o promotor de um evento de música electrónica previsto para a Pedreira do Paul, na zona do Paul da Gouxa, para propor que o concerto, que vai durar 19 horas, se realize noutro local. Os vereadores do PS, Sónia Sanfona e António Moreira, e o vice-presidente Carlos Jorge Pereira (CDU) manifestaram a sua discordância, durante a primeira reunião do executivo deste mandato, quanto ao local escolhido para o festival de música electrónica.
Leia mais aqui:

quinta-feira, 2 de novembro de 2017

FUTEBOL




4 De Outubro 
Sábado 
FUTEBOL 
10h30m - Águias x Cade (Infantis) 
Estádio Municipal 

Taxa de desemprego continua a descer



População empregada cresceu em 6900 pessoas, aponta o INE

A taxa de desemprego de Agosto situou-se em 8,8%, menos 0,1 pontos percentuais (p.p.) do que no mês anterior e menos 0,4 p.p. em relação a três meses antes. “Aquele valor representa uma revisão de menos 0,1 p.p. face à estimativa provisória divulgada há um mês e corresponde ao valor mais baixo observado desde novembro de 2008 (8,9%)”, aponta o Instituto Nacional de Estatística (INE).
Em Agosto, último mês para os quais há dados definitivos, a população desempregada era de 451.700 mil pessoas, menos 7.100 do que no mês anterior (descida de 1,5%). Já a população empregada aumentou em 6.900 pessoas, totalizando 4.709.500 indivíduos.

No documento divulgado hoje, o INE estima que a taxa de desemprego para o mês de Setembro desça para 8,6%. A confirmar-se, este valor traduzirá uma descida de 2,3 pontos percentuais face ao mesmo mês do ano passado. A estimativa provisória da população desempregada é de 442 mil pessoas e a da população empregada foi é de 4.716.700 pessoas.

quarta-feira, 1 de novembro de 2017

NORUEGA GOSTA DOS NOSSOS VINHOS E ESCOLHEU OS 50 PREFERIDOS ATRAVÉS DA SUA MASTER OF WINE. UM DELES É DE ALPIARÇA



A qualidade dos vinhos portugueses continua a conquistar avaliações positivas por parte de especialistas internacionais. Desta feita foi Julia Harding, uma das mais reputadas jornalistas e críticas de vinhos, a selecionar 50 néctares nacionais, que foram dados a conhecer e a provar em Oslo.

A iniciativa, denominada “50 Great Portuguese Wines by Julia Harding”, decorreu a 30 de outubro no Grand Hotel, em Oslo, e é o culminar de um projeto desenvolvido por Julia Harding, Master of Wine, que provou um conjunto alargado de vinhos, provenientes das diferentes regiões vitivinícolas portuguesas, durante cinco dias, para chegar à lista final dos vinhos premiados.

Ao longo de dois seminários educativos, Julia Harding reiterou que os 50 vinhos selecionados são “vinhos para saborear ao longo de uma tarde na companhia de amigos” e “representam a fantástica profundidade e amplitude dos vinhos portugueses. A fusão entre variedades distintas de castas autóctones de elevada qualidade com a paisagem e o clima fantásticos de Portugal encontra-se expressa de forma criativa pelos viticultores portugueses”. No final do evento teve lugar uma prova de vinhos destinado a profissionais e consumidores.

A Noruega constitui um dos 14 mercados prioritários da marca Wines of Portugal, operada pela ViniPortugal na promoção internacional dos vinhos portugueses. Em 2016 este mercado atingiu um crescimento, em valor, de 10,4%, e posiciona-se no top-20 na lista dos principais destinos de vinhos portugueses.

Fica, abaixo, a lista do “50 Great Portuguese Wines by Julia Harding”. Todos os vinhos da seleção estão disponíveis na Noruega.

Caves São João Frei João Reserva 2013

Região: Bairrada
Quinta de Baixo Poeirinho Garrafeira 2012

Região: Bairrada
Filipa Pato Post-Quercus Baga 2015

Região: Bairrada
Sidónio de Sousa Garrafeira 2009

Região: Bairrada

Vale da Capucha Fossil 2015

Região: Lisboa
Chocapalha Vinha Mãe 2013

Região: Lisboa
Herdade do Rocim Vale da Mata Reserva 2013

Região: Lisboa
Casa de Mouraz Elfa 2013

Região: Dão
Quinta de Saes Reserva Estágio Prolongado 2013

Região: Dão
Julia Kemper Reserva 2010

Região: Dão
Poças Júnior Vale de Cavalos 2015

Região: Douro
Olazabal Monte Meão Vinha dos Novos 2013

Região: Douro
Quinta da Rosa Passagem Reserva 2014

Região: Douro
Quinta da Manoella Vinhas Velhas 2015

Região: Douro
Poeira 44 Barricas 2014

Região: Douro
Quinta do Crasto Reserva Vinhas Velhas 2014

Região: Douro
Lemos & Van Zeller Vale D. Maria 2014

Região: Douro
Niepoort Charme 2014

Região: Douro
Terras de Alter ALF Alfrocheiro 2016

Região: Alentejo
Herdade do Rocim Amphora 2015

Região: Alentejo
Solar dos Lobos Reserva Bronze 2013

Região: Alentejo
Quinta da Lagoalva de Cima Alfrocheiro 2011

Região: Tejo
Aphros Silenius Vinhão 2015

Região: Vinho Verde
Aphros Loureiro 2015

Região: Vinho Verde
Camaleão Alvarinho 2016

Região: Vinho Verde
Anselmo Mendes Alvarinho Contacto 2016

Região: Vinho Verde
Soalheiro Primeiras Vinhas 2015

Região: Vinho Verde
Luís Seabra Granito Cru Alvarinho 2015

Região: Vinho Verde
Quinta de Chocapalha Arinto 2016

Região: Lisboa
Sovinum Lisbon’s Mustache 2016

Região: Lisboa
Ribafreixo Pato Frio Grande Escolha 2015

Região: Alentejo
Esporão Reserva White 2015

Região: Alentejo
Casa de Mouraz Encruzado 2015

Região: Dão
Quinta da Pellada Primus 2014

Região: Dão
Luís Pato Vinhas Velhas 2016

Região: Bairrada
Quinta de Baixo Vinhas Velhas Bical/Maria Gomes 2014

Região: Bairrada
Secret Spot Vale da Poupa Moscatel Galego 2016

Região: Douro
Monte Cascas Reserva Douro 2016

Região: Douro
Quinta de La Rosa La Rosa Reserva 2015

Região: Douro
Ramos Pinto Duas Quintas Reserva 2015

Região: Douro
Luís Seabra Xisto Cru 2015

Região: Douro
Wine & Soul Guru 2016

Região: Douro
Barbeito Rainwater Reserva – Medium Fry 5 Years Old Madeira

Região: Madeira
Blandy’s Bual 10 Years Old Madeira

Região: Madeira
Sandeman 2011 Late Bottled Vintage Port 2011

Região: Douro
Ramos Pinto 1997 Vintage Port

Região: Douro

Sandeman 30 Years Old Tawny Port

Região: Douro
Kopke Colheita 1966 Port

Região: Douro
José Maria da Fonseca Alambre 10 Years Moscatel de Setúbal

Região: Península de Setúbal
Quinta da Gaivosa 10 Years Old White Port
«http://lifestyle.sapo.pt»

terça-feira, 31 de outubro de 2017

PATINAGEM DE VELOCIDADE: ALPIARÇA ORGANIZA I TORNEIO DA AMIZADE


Realizou-se no passado sábado, dia 28 de outubro, o I Torneio da Amizade de patinagem de velocidade, em Alpiarça, organizado pela respetiva Secção da Sociedade Filarmónica Alpiarcense (SFA) 1º de Dezembro, com o apoio da Associação de Patinagem do Ribatejo e da autarquia local. O torneio teve início pelas 9.30 h, com a cerimónia de abertura, e as provas decorreram a partir das 10.00h. O torneio contou com a participação de equipas de Alpiarça (SFA), Marinha Grande, Casal Galego, Leiria, Loures, Alenquer e Parede, representadas por 80 atletas, que disputaram cerca de 60 provas.

PROMOVER A MODALIDADE NA REGIÃO

Lívio Medeiros, treinador da SFA, realçou a importância deste torneio para a promoção da modalidade no distrito de Santarém e referiu, ainda, que a SFA está disponível para, juntamente com a Associação de Patinagem do Ribatejo, colaborar em ações de promoção da modalidade. Atualmente, a Sociedade Filarmónica 1.º de Dezembro é a única equipa de patinagem de velocidade no distrito. A Patinagem de Velocidade é uma modalidade praticada em Portugal desde o início do século XX, apelidando-se, na altura, de “corridas em patins”.

JOVENS NO PÓDIO

Nos escalões de formação, a atribuição de prémios foi efetuada de forma a que todos os jovens patinadores tivessem lugar no pódio, existindo, assim, finais A, B e C para cada categoria. Na entrega dos prémios, para além dos dirigentes das associações organizadoras do evento, estiveram presentes os responsáveis da Câmara Municipal e Junta de Freguesia de Alpiarça, bem como representantes da Federação de Patinagem de Portugal.

Na categoria de “Benjamins” (6 e 7 anos) femininos, subiram ao pódio Inês Menino, da A. E. Marinha Grande Poente, vencendo o torneio com um total de 18 pontos, Ariana Duarte, da SFA - Alpiarça, conquistando o segundo lugar com 15 pontos e Carolina Couceiro, também da equipa da Marinha Grande, alcançando o bronze, com 9 pontos. Nos “Benjamins” masculinos, as medalhas foram conquistadas pela equipa da Marinha Grande: Simão Ribeiro venceu com 24 pontos, Diogo Alves conquistou a prata com 20 pontos e Mário Meca alcançou o 3.º lugar, com 16 pontos.

No escalão “Escolar” (8 e 9 anos) femininos, o torneio foi conquistado pela atleta Lara Lopes Mendonça, do Hóquei Clube de Leiria, que totalizou 44 pontos. Os restantes lugares do pódio foram alcançados por Alanis Rivas, do Paredes F. C., com 39 pontos, e por Joana Ramos, do Inline Skating de Loures, com 37 pontos. No escalão masculino, o H. C. de Leiria alcançou, também, o primeiro prémio, com o atleta Vicente Ferreira a acumular 21 pontos. O segundo lugar foi conquistado por Manuel Piteira, da equipa marinhense, e o terceiro por Pedro Mendes, também ele do H. C. de Leiria.

No escalão de “Infantis” (10 e 11 anos) femininos, foi a atleta Letícia Alves do H. C. de Leiria que venceu o torneio, com 44 pontos. O segundo e terceiro lugar foram alcançados, respetivamente, pelas atletas Edna Correia, da equipa da Marinha Grande, e pela atleta Ana Marques, da equipa alpiarcense. No escalão masculino, o ouro ficou com Martim Pires, da Marinha Grande, com 28 pontos, a prata foi conquistada por Guilherme Marques, da equipa alpiarcense, e o bronze foi entregue a Afonso Silveira, da A. S. C. D. do Casal Galego.

Os “iniciados” (12 e 13 anos), quer masculinos quer femininos, tiveram um torneio disputado a dois, com uma dupla de atletas a competir nas provas deste escalão, em ambos os sexos. Em femininos, venceu Maria Costa e o segundo lugar foi alcançado por Mariana Mestre, ambas do Parede F. C. Já nos masculinos, o ouro foi entregue a Pedro Cardoso da Marinha Grande e a prata a Tomás Cordeiro, da equipa de Alpiarça. Na categoria de “Masters” (mais de 30 anos) participaram dois atletas, ambos da equipa do Casal Galego, tendo conquistado o torneio João Teodósio e o segundo lugar atribuído a Tiago Silveira.

As categorias de iniciados e absolutos, efetuaram provas idênticas às da próxima Taça de Portugal que se realiza nos dias 4 e 5 de novembro: contrarrelógio por equipas, pontos e estafetas. Nos iniciados femininos, a equipa Agrupamento de Escolas da Marinha Grande Poente dominou vencendo todas as provas e, nos iniciados masculinos, foi a equipa Galeria (Equipa composta por atleta de Leiria e Casal Galego) que dominou. Nos absolutos femininos, a equipa das Torbulentas (outra equipa composta por atletas de dois clubes, Inline Sakating de Loures e Sport Alenquer e Benfica) foram as grandes vencedoras e nos masculinos, a equipa do Parede FC, que integram dois patinadores veteranos, foram os grandes vencedores.