sábado, 16 de dezembro de 2017

MÁRIO PEREIRA: UM PRESIDENTE SEMPRE EM MOVIMENTO










Algumas fotos do meu périplo deste Sábado por algumas das actividades realizadas durante a tarde em Alpiarça: almoço no Centro de Cultura e Recreio do Casalinho, a convite da equipa que organiza a Festa Popular do Casalinho; Torneio de Karaté da SFA, no Pavilhão Miguel Jourdan na Escola EB2,3/Secundária; prova distrital de atletismo de pista-coberta, na Nave Desportiva; mostra de artesanato local, no átrio do CD "Os Águias".
Porque "conversa puxa conversa", porque o tempo não estica e, ainda, porque também tenho vida e responsabilidades familiares não consegui passar pela Biblioteca Municipal nem pelo Auditório da Casa dos Patudos a tempo de apanhar as iniciativas (apresentação de um livro e festa do jardim infantil da Fundação José Relvas, respectivamente). 
Mas o mais engraçado é que o vereador do PS mostrou alguma indignação por eu não ter estado hoje na iniciativa da Biblioteca; logo ele, que só esteve nessa e cujos 'compagnons de route' não põem os pés em praticamente nenhuma das muitas iniciativas que se realizam em Alpiarça em cada fim-de-semana, sejam organizadas pelas autarquias ou pelo movimento associativo.
«De: M.P.»

ALPIARÇA ESTE ANO NÃO TERÁ A HABITUAL ILUMINAÇÃO NATALÍCIA



A iluminação natalícia que costumava estar instalada nas várias artérias do concelho e  nos edifícios ou locais emblemáticos não não será colocada este ano.

A Câmara contratou uma empresa especializada em iluminação natalícia  que incluía a montagem e desmontagem da iluminação das festividades.

Por razões várias  a empresa não assumiu o compromisso o que obrigou o executivo a procurar de emergência outras empresas do género mas nenhuma esteve disponível.

Assim a iluminação ficará reduzida ao mínimo e será colocada pela própria autarquia em locais próprios para que faça lembrar a época natalícia

sexta-feira, 15 de dezembro de 2017

SÓNIA SANFONA EM SINTONIA COM O EXECUTIVO DA CDU E OPTIMISTA QUANTO AO FUTURO



Em sintonia porque a vereadora Socialista (foto) quer o bem de Alpiarça e não tem intenção alguma de criar desavenças com o maioria comunista e muito menos criar “guerras” com quem quer que seja.

Para “guerras e outras palhaçadas” já chegou quem lá esteve no último mandato.

O “ponto de ordem” agora e futuramente é: defender ideias e projectos para que Alpiarça “ande para a frente” .

****/****

Sónia Sanfona  reconheceu  na  reunião de Câmara de hoje que  finalmente Alpiarça já possui  “todas as condições em termos de saúde” porque os alpiarcenses passaram  “ a ter médico de família” (LerInauguração da Unidade de Saúde Familiar Alpiarça) e não deixou de felicitar a “Câmara pelo esforço que fez”.

No ar ficou a mensagem se os médicos estão para ficar ou se: "apenas será por pouco tempo".

 ****/****

O ambiente é de cordialidade e camaradagem mesmo que às vezes não haja entendimento em algumas questões como foi a da Inauguração-benção da nova capela do Frade de Cima que a Igreja local em vez de convidar todo o executivo só convidou o presidente da Câmara o que “incomodou” Sónia Sanfona que entendia dever  ter sido convidada para o evento.

Mário Pereira disse-lhe que nada tinha a haver com  assuntos da Igreja e da nova capela, que, “até nem é crente” e muito menos, não "sabia explicar as razões" porque o Bispo de Santarém D. José Traquina só o convidou a ele.

Como nota deixou o recado: “nem os  vereadores da CDU foram convidados”.

Sónia Sanfona  “torceu o nariz” porque há algo que não bate certo e muito menos ficou convencida  com a explicação do presidente.

Se a socialista tiver duvidas ou satisfações “peça-as ao Bispo Traquinas” adiantou o edil.


****/****

A Vereadora Sónia Sanfona  questionou o Executivo da CDU para saber como funciona o “quadro do pessoal” da Casa Museu dos Patudos porquanto esta coisa de atender os visitantes do museu e saber explicar-lhes o que na verdade é o ex-libris de Alpiarça como quem foi José Relvas tem muito que se lhe diga e não é para qualquer um.

Uma questão muito bem apresentada pela vereadora da oposição com bons argumentos mostrando que a casa de José Relvas exige funcionários com profunda preparação.

Adiantou ainda que na Câmara existem funcionários com uma certa qualificação mas mal aproveitados, isto é: que deviam estar a desempenhar cargos para os quais estão devidamente preparados e não a  trabalhar em locais que não são minimamente  adequados  aos conhecimentos que possuem.

De pouco lhe valeu.

 O presidente da autarquia astuto e com  experiência suficiente para saber dar a volta à “coisa” quando não lhe agrada certas perguntas não esclareceu quem tinha duvidas fazendo com que   Sónia Sanfona   tivesse que   sorrir sozinha para a mesa das decisões e abanasse a cabeça, como quem diz: “não vale apena porque daqui não levo nada…”

Se dúvidas Sónia Sanfona tinha apesar dos poucos  esclarecimentos do presidente e do Vereador João Pedro com dúvidas ficou porque  as resposta foram invasivas ficando a promessa de que: “vamos estudar o assunto”

Inauguração da Unidade de Saúde Familiar (USF) de Alpiarça






Inauguração da Unidade de Saúde Familiar (USF) de Alpiarça, nas instalações do centro de saúde, com a presença do Presidente do CD da ARS-LVT, da Directora do ACES Lezíria do Tejo, do Bispo de Santarém, dos eleitos locais do Município e da Freguesia, da Comissão de Utentes, dos profissionais de saúde e de representantes convidados de várias entidades parceiras.
Com a constituição desta USF, Alpiarça torna-se um dos poucos concelhos com a totalidades da sua população com médico de família atribuído, num importante salto qualitativo no serviço prestado ao nível dos cuidados de saúde primários sob a responsabilidade do SNS.
«De: M.P.»

DESPORTO





16 De Dezembro
Sábado  
FUTEBOL
9h30m - CD Águias x Coruchense (Infantis)
11h - CD Águias x GD Benavente (Sub10)
Estádio Municipal
--JOGOS FORA--
11h - CD Amiense x CD Águias (Sub11)
Campo da Azenha

ATLETISMO
15h - Prova de Atletismo
Nave Desportiva de Alpiarça

17 De Dezembro
Domingo 
FUTEBOL
10h - CD Águias x CCD Caxarias (Juvenis)
Estádio Municipal

PESCA
9h - Pesca Desportiva
Barragem de Alpiarça

quinta-feira, 14 de dezembro de 2017

Inauguração da Unidade de Saúde Familiar Alpiarça



O actual Presidente do Conselho Diretivo da Administração Regional de Saúde de Lisboa e Vale do Tejo, IP, Dr. Luís Pisco, inaugura no dia 15 de dezembro, pelas 10 horas, a Unidade de Saúde Familiar Alpiarça.

A Unidade de Saúde Familiar (USF) Alpiarça, do Agrupamento de Centros de Saúde (ACES) Lezíria, vai servir cerca de 6.680 utentes inscritos. Nesta unidade vão trabalhar quatro médicos, quatro enfermeiros e quatro assistentes técnicos, num horário de funcionamento de segunda a sexta, das 08:00 às 18:00 horas.

Com cerca de 200.000 utentes, o ACES Lezíria tem por missão garantir a prestação de cuidados de saúde à população dos concelhos de Almeirim, Alpiarça, Cartaxo, Chamusca, Coruche, Golegã, Rio Maior, Salvaterra de Magos e Santarém, numa área territorial de 3.485 Km².

O ACES Lezíria tem em funcionamento 12 Unidades de Saúde Familiar (USF), três Unidades de Cuidados de Saúde Personalizados (UCSP) e sete Unidades de Cuidados na Comunidade (UCC). Tem também uma Unidade de Saúde Pública (USP) e uma Unidade de Recursos Assistenciais Partilhados (URAP).

O ACES Lezíria, para além das actividades de âmbito clínico que presta à sua população desenvolve atividades de vigilância epidemiológica, investigação em saúde, controlo e avaliação dos resultados e participa na formação de diversos grupos profissionais nas suas diferentes fases, pré-graduada, pós-graduada e contínua.

EXECUTIVO DA CDU QUASE “OBRIGADO” A AUMENTAR O IMI

Por: António Centeio


Com os aumentos nos próximos anos” coloca-se ao executivo da CDU o “aproveitamento das verbas do quadro comunitário Portugal 2020”.

Uma “oportunidade para executar obras e medidas importantes” para “o desenvolvimento do concelho” que são comparticipadas a 85% “ mas cabendo ao Município “assegurar a sua parte de co-financiamento”.

Daqui o Executivo ter que encontrar o restante em falta.

Nos últimos 5 anos os prédios urbanos situados no concelho de Alpiarça têm sido taxados no valor mínimo (0,3%), na sequência de uma opção política do município que tem beneficiados os seus proprietários”.

Salienta a Câmara em comunicado próprio que “Alpiarça é um dos dois únicos municípios com taxa mínima na nossa região”.

Por causa deste valor mínimo a autarquia deixou de receber perto de “2 milhões de euros, cerca de 400 mil euros por ano em relação ao que receberia se fosse aplicada a taxa mínima (0,5%) que anteriormente vigorava”.

Foram cerca de 2 milhões de euros que os proprietários desses prédios urbanos pouparam, mas que muita falta têm feito aos orçamentos da CMA, tendo afectado negativamente a capacidade de realização da autarquia ao serviço de toda a população.

A AMORTIZAÇÃO DA DIVIDA QUE ASCENDE A CERCA DE 1 MILHÃO E 300 MIL EUROS POR ANO

O processo de recuperação financeira a caminho da sustentabilidade que tem seguido (redução de mais de 5 milhões de euros da divida municipal registada em 2009) traduz-se num grande esforço de amortização da divida que ascende a cerca de 1 milhão e 300 mil euros por ano, verba essa que muito constrange e limita a capacidade de realização e de investimento, bem como condiciona também a capacidade de manutenção de equipamentos colectivos e a aquisição de fornecimentos fundamentais à prestação de um melhor serviço a todos os munícipes”.

Para que a divida possa ser reduzida e a actividade camarária volte à normalidade como o desenvolvimento no concelho a CMA propôs à “Assembleia Municipal a aprovação de uma taxa de IMI de 0,42 para o ano de 2018 de forma a garantir a sustentabilidade financeira municipal e a possibilitar o necessário investimento no futuro do concelho e de todos os alpiarcenses”.

O aumento desta taxa já foi aprovado.

Saliente-se que o Município tem um “conjunto de projectos em execução e outros para executar, nomeadamente a: Revitalização do Mercado Municipal; Ampliação e Requalificação do Jardim; Requalificação da Escola EB”,3/Secundária; Substituição da Iluminação Pública em todo o concelho com lâmpadas LED; Projecto de Promoção do Sucesso Educativo; Recuperação da Barragem dos Patudos e da Vala; Recuperação da rede viária municipal; Manutenção das Bolsas de Estudo, do apoio social escolar e ao movimento associativo desportivo, cultural e social, entre outros.

quarta-feira, 13 de dezembro de 2017

Inauguração-benção da nova capela do Frade de Cima



Na inauguração-benção da nova capela do Frade de Cima, com o novo Bispo de Santarém, D. José Traquina, e com o pároco de Alpiarça, Padre Tiago Pires, na tarde deste Domingo. 
A disponibilização do edifício e espaço envolvente da antiga Escola Primária do Frade de Cima para o culto religioso e outras actividades abertas à população surge na sequência de um protocolo de cedência assinado entre a Câmara Municipal de Alpiarça e a Igreja, que permitiu a recuperação do edificado e a sua devolução ao serviço da comunidade.
«De: M.P.»

O 10° aniversário da Águas do Ribatejo



Em Samora Correia, no seminário que assinala o 10° aniversário da Águas do Ribatejo EM, com a presença dos anteriores a actuais eleitos locais dos municípios integrantes e do Secretário de Estado do Ambiente.
«De. M.P.»

terça-feira, 12 de dezembro de 2017

OS QUE "SACANEARAM" LEONEL PISCALHO


De: Leonel Piscalho

Sou apenas e só um simples biengenheiro civil, filho de um operário e duma camponesa, comunistas de Alpiarça, ambos já falecidos ( nada tiveram a ver com a AOC de então). Não sendo um expert em cultura, arte ou história não me impede de usar a minha massa cinzenta como bem entendo. 
Vai para 115 anos que Julio Dantas escreveu " a Ceia dos Cardeais" e ficou célebre a expressão " como é diferente o amor em Portugal " dita pelo personagem cardeal G.de Castro se fosse solicitada uma versão alpiarcense diria o tal cardeal ou outro personagem ( talvez um politico atual) "como é diferente o conceito de coerência ou de honestidade em Alpiarça". 

Senão vejamos:

a) - em 23/10/1986 comunicação da AM de Alpiarça em maioria CDU a comunicar e concretizar uma moção.

b)- em 02/04)2007 por proposta dum vereador CDU em mandato de maioria PS a condecoração anexa numa noticia do MIRANTE .

c) em março de 2017 por proposta de nem quem e aprovado por unanimidade a atribuição do meu nome ao parque defronte da barragem.

Em nenhuma destas situações pedi ou solicitei a atribuição ou qualquer outra situação afim. Como podem avaliar são 3 situações espaçadas 20 e 10 anos respectivamente...

Finalmente desejo aos meus conterrâneos e amigos, incluso os que me "sacanearam" e lembrar-lhes que a terra ainda é redonda e, pese as ameaças que sobre ela incidem nos encontraremos um dia no" Vale da Cigana" pois faz parte das minhas intenções voltar á terra onde nasci, nem que seja deitado... E lá decerto não nos falaremos mais. Boas Festas a todos, sem excepção...

domingo, 10 de dezembro de 2017

ARTIGO DE OPINIÃO: Portugal na liderança

Por:
Rodolfo Colhe
Presidente da Juventude Socialista
de
Alpiarça
 

Portugal na liderança

Confesso que cada vez mais fico surpreendido com a capacidade que os portugueses têm de se superar e de atingir feitos que são à partida para os outros, mas nós conseguimos superar tudo quando estamos focados. Podia estar a falar de mais uma Bola de Ouro ganha por Cristiano Ronaldo ou por se ter tornado o 1º jogador da história a marcar em todos os jogos da fase de grupos da Liga dos Campeões, mas não era a esse craque nem a esse Ronaldo que me referia, falo sim do Ronaldo das finanças.
A alcunha segundo alguns foi colocada em tom de gozo, mas sinceramente não acho que isso seja importante, nem foi sequer a primeira vez que foi gozado, lembro-me facilmente do riso de Pedro Passos Coelho na estreia no Parlamento ou da forma como Marques Mendes ridicularizou a possibilidade de Mário Centeno ser equacionado para a Presidência do Eurogrupo (se for um indivíduo correcto irá com certeza pedir desculpas e admitir que foi incorrecto, veremos se é homem para isso).
O mais concreto no meio de todo o ruído é que um ministro de Portugal, de um governo de esquerda, suportado por partidos à sua esquerda consegue liderar um órgão europeu que deve ter relevância. E isto não se consegue aparecendo em directo com alguém a desfazer-lhe a barba, isto consegue-se com base em trabalho e em resultados. Trabalho realizado em prol do nosso país mas também com muito trabalho de casa feito com os parceiros europeus que têm na minha opinião vindo a ser conquistado com as eleições de António Costa e Carlos César para órgãos internacionais. E é importante que se diga que António Costa tem uma elevada percentagem do mérito da eleição de Centeno. Acredito seriamente que apesar de estarmos novamente debaixo do foco de atenção da Europa esta eleição só pode ser óptima para o nosso país mas também para a própria Europa que precisa de novas ideias e de novas caras na liderança, sendo indispensável que deixe de ser gerida exclusivamente pela vontade de dois ou três países e passe a ser gerida com vista ao melhoramento de toda a Europa e ao encurtamento de diferenças.

Vivemos momentos altamente conturbados à escala mundial, o risco de guerra e posteriormente de crise aumentou e caso não se atinjam consensos vai aumentar ainda mais nos próximos tempos. É imperativo que todas as lideranças sejam elas nacionais ou internacionais tenham em conta o actual momento, deve ser um enorme orgulho para qualquer português ter compatriotas em lugares de enorme importância, ainda mais para aqueles que, como eu, são socialistas. 

sábado, 9 de dezembro de 2017

Alpiarça no XXIII Congresso da Associação Nacional dos Municípios Portuguese



Alpiarça no XXIII Congresso da Associação Nacional dos Municípios Portugueses (ANMP), a decorrer ao longo de todo o dia em Portimão. 
Em discussão, a descentralização de competências, os fundos estruturais e as finanças locais, na prossecução do objectivo central de reforço do poder local democrático.
«M.P.»

sexta-feira, 8 de dezembro de 2017

JÁ ESTÁ A FICAR VERDINHO O NOVO JARDIM MUNICIPAL



Já está a ficar verdinho o novo Jardim Municipal, mais moderno, com mais do dobro da área em relação ao antigo, bem no centro da vila de Alpiarça. 

Os trabalhos aproximam-se da fase final, com os acabamentos dos edifícios de apoio e com a plantação de árvores, arbustos, flores e a sementeira da relva dos espaços verdes.
«de: M.P.»

DESPORTO





8 De Dezembro
Sexta 
FUTEBOL
--JOGOS FORA--
10h30m - Fazendense x CD Águias (Sub 10)
Complexo Desportivo Profissional José Gameiro Gomes 


9 De Dezembro
Sábado 
FUTEBOL
15h - CD Águias (Jogo Interno, Sub 11)
Estádio Municipal
--JOGOS FORA--
10h30m - Fazendense x CD Águias (Infantis)
Complexo Desportivo Profissional José Gameiro Gomes 

10 De Dezembro
Domingo 
FUTEBOL
9h - U.Tomar x CD Águias (Juvenis)
Estádio Municipal de Tomar

quinta-feira, 7 de dezembro de 2017

É IMPORTANTE ESCLARECER, É URGENTE COMUNICAR!

Mário Pereira
Presidente da Cãmara Municipal de Alpiarça


Não obstante os factos que vão sendo conhecidos relativamente ao aumento do IMI e ao impacto que isso irá ter no orçamento de muitas famílias do concelho de Alpiarça, continua a ser intrigante para muitos eleitores dos vários quadrantes políticos cá do burgo, a ABSTENÇÃO de Sónia Sanfona e António Moreira vereadores do PS, perante a proposta desse aumento, apresentada em reunião de câmara de 23-11-2017 pela maioria CDU que continua a gerir a câmara. Alguns dias depois, para nosso espanto, a bancada do PS, em plena Assembleia Municipal, votava contra este mesmo aumento, trazido aqui para aprovação e ratificação. Sinal de que há assimetrias de avaliação política no PS sobre o mesmo assunto. Daí muita gente dizer que "a bota não bate com a perdigota". E..."quem cala consente!" Seria de bom tom, que as pessoas que se deram ao trabalho de votar, fossem esclarecidas sobre o que realmente se passou. O "efeito surpresa"... as coisas ..."em cima do joelho" etc. aquando da apresentação da proposta em reunião de câmara, que levou a esta ABSTENÇÃO, parece não estar a ser muito bem compreendida, até pelos próprios militantes socialistas. É altura de esclarecer quem tem dúvidas sobre esta tomada de posição da vereação socialista, ao abster-se sobre um estranho aumento de 40% (!) no IMI para 2018. Porque os tempos continuam difíceis, muitos munícipes questionam por que razão este aumento bruto e repentino de 0,3% para 0,42% (note-se que o IMI máximo para 2017 é de 0,45%) não foi faseado ao longo dos últimos mandatos como fizeram muitos outros municípios do país? Muitos municípios têm mantido taxas de 0,3, 0,32, 0,34, 0,35, outros 0,40 a 0,45% e outros ainda antes de 2017 a 0,5% que era na altura a taxa máxima. (Pelo menos 143 câmaras, aplicaram a taxa mínima de 0,3% em 2017). Por isso, Alpiarça não foi um caso de excepção e, a apregoada poupança no IMI de 2 milhões de Euros no decorrer dos últimos oito anos, por parte das famílias alpiarcenses, não passa de uma história para adormecer criancinhas...pois todos sabemos quais as consequências políticas para a CDU, caso mantivesse o IMI na taxa máxima conforme a dada altura chegou a pretender. Mas, adiante. Ainda a propósito da coerência, transparência e quejandos, o esclarecimento que chegou para o exterior, para a população, foi apenas a justificação, mal argumentada e pouco convincente da CDU para este aumento de 40% de IMI, e a moção da bancada socialista na Assembleia Municipal, como reacção a esse mesmo aumento, nada mais. Até Já há quem diga que o vereadores Gaspar & Cunha estão cá a fazer falta para representar a verdadeira oposição política de Alpiarça e os interesses dos alpiarcenses. Por ironia, até o secretário geral do PCP, Jerónimo de Sousa, defende uma taxa máxima para o IMI de 0,4%...

Em boa verdade, quando o regime vigente CDU, aqui chamado de “posição”, elogia o comportamento daqueles que deviam fazer “oposição”, diz-nos a experiência, que alguma coisa não joga certo! E o Povo confirma que: “aqui há gato”! Não queremos acreditar, que a CDU pretenda acertar as continhas do défice autárquico à custa deste "jogo" e, deixar este mandato como um marco histórico do seu último mandato em Alpiarça.
 «PorM.Ramos»

terça-feira, 5 de dezembro de 2017

A devolução dos 3 dias de férias aos trabalhadores da Câmara Municipal de Alpiarca que foram roubados pelo anterior governo



Devolução dos 3 dias de férias aos trabalhadores da Câmara Municipal de Alpiarca que tinham sido roubados pelo anterior governo. 
Depois de termos contemplado esta possibilidade na alteração ao acordo de contratação pública com o STAL, durante o mês de Setembro, assinámos agora a mesma alteração ao ACEEP com os dirigentes do Sindicato dos Trabalhadores em Funções Públicas e Sociais (STFPSSRA).
A Câmara de Alpiarça é uma das primeiras no País a avançar para a concretização da reposição deste direito dos trabalhadores, tal como já tinha acontecido no processo de defesa das 35 horas semanais na administração pública local.
«MP»

Quem cala, consente

Mário Santiago


Quando em 2009 o PS perdeu as eleições em Alpiarça, Alpiarça encontrava-se confrontada com um ENDIVIDAMENTO de 13 milhões de euros e filas de fornecedores à espera de pagamento. Quando ninguém arriscava dizer que fazer pior seria impossível, o PCP encarregou-se desde aí em transformar Alpiarça no PIOR município português no que respeita ao INVESTIMENTO e com graves problemas de equilíbrio orçamental.
Isso mesmo, entre 308 municípios, não houve pior em todo o território português, continente e ilhas! Dados do Tribunal de Contas relativos a 2016:
ü  1º Município com menor INVESTIMENTO.
ü  9º Município de Portugal com MAIOR DESEQUILIBRIO ORÇAMENTAL.
ü  9º Município com MENOR VOLUME DE DESPESA PAGA
Como consequência desta gestão ruinosa por parte do PCP, o IMI para 2018 terá um aumento de 40%. (com abstenção dos vereadores socialistas). Assim, quem tem casa própria em Alpiarça, irá pagar mais 40% de IMI no próximo ano (e certamente, nos seguintes).
Ter casa em Alpiarça, representa por isso mesmo, um encargo fiscal proporcionalmente maior do que morar em:
  • Lisboa
  • Oeiras
  • Cascais
  • Porto
Quanto à abstenção a este aumento por parte dos vereadores socialistas Sónia Sanfona e António Moreira, existe um provérbio que lhes cola na perfeição:“Quem cala, consente”
Mas há quem se sinta revoltado pelos vereadores socialistas não tenham em sede própria feito valer os seus argumentos no sentido de evitar a qualquer custo um aumento desta magnitude. Não votaram contra, não se pronunciaram contra, e para que se seja inteiramente justo para com eles, fizeram o que era correto como legítimos herdeiros da gestão socialista até 2009. Quem, em 2009, deixou o concelho no estado miserável em que se encontrava do ponto de vista financeiro, não tem agora moral para votar contra a proposta comunista. Por isso, não foram hipócritas.
Foi, no entanto, catastrófico para todos os alpiarcenses, que nem Sónia Sanfona nem António Moreira tivessem esgrimido argumentos para evitar que a atual proposta fosse levada a votação na Assembleia Municipal, porque aí já seria (e foi) tarde.
Para terminar, não deixa ainda de ser uma curiosidade que no momento em que as coligações apoiadas pelo PSD (as verdadeiras oposições no concelho) deixaram de ter representação na vereação alpiarcense, o executivo comunista tenha sentido o caminho livre para finalmente propor este brutal aumento de impostos.
«Rede Regional»

ARTIGO DE OPINIÃO: Dois anos de Governo

Por:
Rodolfo Colhe
Presidente da Juventude Socialista
 de
Alpiarça
Estamos a aproximar-nos do final de 2017 e o normal em todos os indivíduos é fazer a retrospectiva daquilo que foi o seu ano, apesar disso ainda não é hoje que vou fazer essa retrospectiva, vou sim falar de dois anos de governação olhando para os últimos dias.

Nos últimos dias o governo tem sido alvo de pressões constantes de vários sindicatos, entidades agregadores de empresas do sector privado e de diferentes sectores da função pública, e isso é o reflexo da boa governação. Se o actual governo não tivesse devolvido às pessoas o que era delas, hoje não assistiríamos a tantas reivindicações, algumas legítimas outras nem um pouco. A verdade e custa-me dize-lo, é que determinadas classes que foram absolutamente desrespeitadas deveriam ter muito mais consciência social e perceber que não será possível devolver tudo num dia, mas mais do que isso deveriam perceber que estão a ser arma de arremesso de quem tudo lhes tirou contra quem lhes devolve uma grande parte do que perderam, e sinceramente acho que quem tem responsabilidade nessas classes deveria ter a coragem de o dizer e de demonstrar que não estão ao serviço de nenhum partido e mais até que não usam as instabilidades políticas para prosperar.
Para 2017, pedi humanismo e respeito pelos outros, algo que sinto que muitas vezes falta e que, sinceramente, acho que não estamos a conseguir recuperar ao ritmo necessário e é importante que quando se reivindica se tenha esse respeito e noção de que o país não é para uns ou para outros mas para todos e que é de todo impossível dar a todos o que pedem. Eu também gostava de receber mais como todas as pessoas no mundo mas isso não pode toldar o meu raciocínio nem o de ninguém. Existirá sempre uma grande discrepância entre os ordenados mais baixos e os mais altos, no entanto, há que evitar em primeira instância que os ordenados mais baixos deixem as pessoas a viver pouco acima do limiar da pobreza. O mundo laboral no nosso país é difícil e tem um longo caminho a percorrer mas hoje com a taxa de desemprego abaixo dos 9% ao invés dos mais de 15% que tivemos, com a reposição de direitos, o descongelamento de carreiras e o aumento contínuo do ordenado mínimo, já percorremos uma parte do caminho.

Outro ponto a analisar com muita atenção é a acção da direita portuguesa neste momento político, o que fez a senhora Assunção Cristas para melhorar as condições de vida dos portugueses, ou será que também faltou a essas reuniões? Como é possível que os mesmos seres com uma obsessão doentia pelo défice e pelo cumprimento de metas que cortaram até a exaustão os direitos dos portugueses e que, inclusivamente, acharam excessivo o aumento do ordenado mínimo, hoje nada tenham a dizer sem ser para, por puro eleitoralismo, vir pedir mais? Dois anos passaram e mais dois passarão. Muito há a fazer, muito será feito e com certeza muito ficará por fazer, o compromisso deverá ser para uma década e não para fazer tudo num mês.

segunda-feira, 4 de dezembro de 2017

TODOS OS UTENTES DO CENTRO DE SAÚDE DE ALPIARÇA PODERÃO TER MÉDICO DE FAMÍLIA, PELA PRIMEIRA VEZ EM VÁRIAS DÉCADAS



Câmara Municipal de Alpiarça 
INFORMAÇÃO

NOVA MÉDICA COLOCADA NO CENTRO DE SAÚDE DE ALPIARÇA 

Cobertura total de utentes do concelho de Alpiarça com Médico de Família

O Centro de Saúde de Alpiarça recebeu uma nova médica no início deste mês de Dezembro, que está já a exercer funções.
A colocação desta profissional pelo Ministério da Saúde (ACES Lezíria/ARS-LVT) no Centro de Saúde vem permitir a cobertura por Médico de Família de todo o universo dos utentes do concelho de Alpiarça.
Deixa de haver, assim, utentes involuntariamente sem médico atribuído.
A Câmara Municipal de Alpiarça, que tem acompanhado de perto a evolução das questões relacionadas com a saúde no concelho em articulação com as estruturas do Ministério e dos utentes, considera a actual situação um importante salto qualitativo, ao nível dos cuidados primários do Serviço Nacional de Saúde, na assistência prestada numa área fundamental para a qualidade de vida da população.
Mário Fernando Atracado Pereira 
Presidente da Câmara Municipal de Alpiarça

4 de Dezembro de 2017

Jerónimo diz que Centeno não vai definir políticas no Eurogrupo


Jerónimo de Sousa considera que eleição de Centeno para o Eurogrupo não vai trazer melhorias para o país

O secretário-geral do PCP afirmou  em Alpiarça, que a eventual eleição de Mário Centeno para a presidência do Eurogrupo não vai determinar as políticas da União Europeia nem significa melhorias para o país, como demonstraram "experiências anteriores".

Falando num almoço/comício em Alpiarça, Jerónimo de Sousa afirmou que o povo conhece "experiências anteriores em que cidadãos nacionais assumiram responsabilidades na União Europeia e o país não ganhou nada com isso".

"Pode-se eleger [o ministro das Finanças, Mário Centeno] para a presidência do Eurogrupo. A questão é saber quem é que vai determinar as políticas da União Europeia e não será um presidente, não será um homem. Quem decide são as instituições e as instituições atuais da União Europeia decidem não a favor dos povos nem dos países, mas a favor do grande capital e isso não se vai alterar seja qual for o resultado", declarou no final de um almoço que reuniu cerca de 300 pessoas no pavilhão do parque de exposições de Alpiarça.
«DN»

sábado, 2 de dezembro de 2017

PS/ALPIARÇA: "A BOTA NÃO BATE COM A PERDIGOTA"

Sónia Sanfona


NO "CASO" DO IMI, O PS DE ALPIARÇA ESTÁ A TRILHAR DOIS CAMINHOS, COM JOAQUIM ROSA DO CÉU A TIRAR O TAPETE A SÓNIA SANFONA
O aumento da taxa de IMI, de 0,3% para 0,42%, para o ano de 2018 (a pagar a partir de Abril de 2019), um aumento de 40 por cento relativo a 2017 que havia sido aprovada na reunião do executivo municipal de 23 de Novembro, com os votos a favor da CDU e a abstenção do PS, tendo sido justificada pela maioria como uma forma de garantir a sustentabilidade financeira municipal e possibilitar o necessário investimento no futuro do concelho e de todos os alpiarcenses, foi agora rejeitada na Assembleia Municipal pela bancada do PS, que liderada pelo ex-presidente da câmara de Alpiarça, Joaquim Rosa do Céu, votou contra a proposta do Executivo, quando os seus colegas de partido Sónia Sanfona e António Moreira, no executivo, tinham optado pela abstenção.

"Os próximos anos colocam-nos o desafio do aproveitamento das verbas do quadro comunitário Portugal 2020, oportunidade de executar obras e medidas importantes para o desenvolvimento do concelho, comparticipadas a 85%, mas tendo o Município que assegurar a sua parte de cofinanciamento", refere uma nota de imprensa do município.

O mesmo documento enumera alguns dos investimentos a realizar nos próximos anos, casos da revitalização do Mercado Municipal, da ampliação e requalificação do Jardim, da requalificação da Escola EB2,3/Secundária ou da substituição da iluminação Pública em todo o concelho com lâmpadas LED, entre outros.

Segundo a autarquia, com a taxa de 0,3 por cento nos últimos 5 anos, Alpiarça perdeu cerca de 2 milhões de (cerca de 400 mil euros por ano) em relação ao que receberia se fosse aplicada a taxa máxima (0,5%).

"Com a atual estrutura de receita, o Município não estará em condições para realizar os investimentos necessários e torna-se, por isso, impossível continuar a abdicar de uma receita fundamental como é a do IMI", justifica a autarquia na referida nota de imprensa."


Joaquim Rosa do Céu, que agora se recusa a aprovar uma taxa de 0,42% quando nos tempos da sua presidência a taxa praticada era de 0,5%, está a mostrar quem manda e sempre mandou no PS de Alpiarça. Sónia Sanfona que se cuide!

«Texto de Opinião de O.Simões»

Jerónimo de Sousa em Alpiarça



Está tudo a ficar pronto para recebermos várias centenas de amigos e camaradas em mais um grande Almoço de Natal do PCP em Alpiarça, desta vez no pavilhão de espectáculos da Alpiagra, com a presença de Jerónimo de Sousa, secretário-geral do Partido. 
«Fotos e texto de Mário Pereira»

sexta-feira, 1 de dezembro de 2017

Festa solidária pela Joana em Alpiarça


As instalações do Moto Clube Charrua, no Largo da Feira de Alpiarça, vão acolher uma festa solidária cujo objetivo é recolher fundos par comprar uma scooter adaptada para a Joana Ramos, uma jovem adolescente que nasceu com uma anormalidade congénita conhecida por “Espinha Bífida”.

A festa “Todos pela Joana” realiza-se este sábado, 2 de dezembro, a partir das 16 horas, e terá zumba com Joana Pernas, folclore com o grupo “Albandeio”, e o DJ Paninho a partir das 23 horas, além de porco no espeto e doces tradicionais.

Neste momento, a jovem desloca-se numa cadeira de rodas manual, um equipamento que não é adequado à sua condição de saúde.

A angariação de fundos para a aquisição da scooter, que custa cerca de três mil euros, já se iniciou em outubro, e já conta com o apoio de várias empresas, instituições e particulares, mas o dinheiro recolhido não chega para a aquisição do equipamento.
«RR»

1º DEZEMBRO de 2017 em Alpiarça - S.F.A.

INE: Pobreza regista a redução mais significativa dos últimos 10 anos


A devolução de rendimentos e a melhoria do acesso a prestações sociais acordadas pela maioria parlamentar de esquerda permitiram já uma redução da pobreza e das desigualdades. Os dados são da publicação Rendimento e Condições de Vida hoje divulgada pelo Instituto Nacional de Estatística.

Em 2016, a taxa de risco de pobreza situou-se nos 18,3% menos 0,7 pontos percentuais que em 2015, a maior redução dos últimos 10 anos. A taxa de risco de pobreza registou quedas mais acentuadas nos segmentos mais fragilizados: jovens e idosos. Nos jovens a taxa recuou de 22,4% para 20,7% e nos idosos a taxa de risco de pobreza baixou de 18,3% para 17,0%. Nos adultos a redução foi de apenas 0,1 pontos percentuais para 18,1%.

O número de pessoas em privação material severa ou muito severa sofreu também uma redução expressiva de 19,5% para 18%. Ou seja, apesar de 200 mil pessoas terem saído da condição de privação material há ainda 1,8 milhões de pessoas que no seu quotidiano não tem acesso a três itens de uma lista de nove. Nesta lista incluem-se, por exemplo, disponibilidade de uma máquina de lavar roupa, de automóvel, capacidade para manter a casa devidamente aquecida mas também a capacidade para pagar uma semana de férias por ano fora de casa. Considera-se que a privação é severa quando quatro ou mais itens da lista não estão acessíveis. A taxa de privação severa registou também uma redução expressiva de 8,4% para 6,9%.

Mas as políticas da maioria não resultaram apenas numa redução da pobreza mas também das desigualdades, com os três indicadores apresentados na publicação a registarem reduções. O coeficiente de Gini registou uma queda de 33,9% para 33,5% enquanto o indicador S80/S20, que compara o rendimento dos 20% com mais recursos com os 20% com menor rendimento, desceu de 5,9 para 5,7. O indicador S90/S10 caiu de 10,1 para 10,0.
«g.c.»