segunda-feira, 25 de setembro de 2017

Exposição de Pintura de Natércia Almeida


"Sábados a Contar"


ARTIGO DE OPINIÃO: “Quer um bom concelho? Vote”

Por Rodolfo Colhe
Presidente da Juventude Socialista
de
Alpiarça
O mote foi dado pela comissão nacional de eleitores, “Quer um bom concelho? Vote”. O máximo que posso fazer é continuar esse apelo que, felizmente, tem vindo a ser difundido nas redes sociais. De facto, o voto de cada um é o ponto de partida para um bom concelho. Não querendo iniciar uma dissertação sobre o voto obrigatório, e digo desde já que quem não vota por opção, deveria perder algumas regalias da cidadania, mas se o voto não é hoje legalmente obrigatório deveria ser moralmente obrigatório. O voto é a maior oportunidade que cada um tem de escrutinar o trabalho de quem está no poder, e convínhamos que se o desinteresse por eleições como as europeias é compreensível apesar de não ser aceitável, as eleições autárquicas são as que mais diretamente dizem algo a cada indivíduo mais por mais em Alpiarça onde dezenas de pessoas foram presas, torturadas e inclusive mortas por terem lutado para que votar livremente seja hoje uma realidade. Todas as eleições ou outras votações são importantes, mas se não escrutinamos quem tem a responsabilidade de zelar pelas ruas onde habitamos, pelas escolas dos filhos, por criar condições para os nossos familiares idosos e entre muitas outras coisas como por exemplo criar qualidade de vida para que possamos continuar a morar na nossa terra, então nesse caso quais queres condições nos são suficientes. Ninguém se pode considerar exigente se não escrutina quem tanto interfere com a nossa vida e com a vida dos nossos. Mais do que o apelo ao voto num ou noutro partido (e no meu caso que não é o de muitos, votei sempre no mesmo partido e continuarei a votar e caso não o faça um dia irei assumi-lo). É mais importante o apelo ao VOTO e a demonstração de quem se quer à frente dos destinos da nossa terra. Quem acha que as coisas estão bem ou que não confia na mudança deve demonstra-lo, quem acredita na mudança deve afirma-lo, é importante que no final do dia 1 de outubro seja inequívoco com que grupo de pessoas se identifica a população. O meu apelo à população é que pense bem, reflita, avalie e em seguida decida em quem votar e que efetue votando.

Apesar de alguns ainda poderem voltar a exercer as suas funções durante o mandato em vigor como é o caso dos vereadores, os membros da assembleia municipal e da assembleia de freguesia já findaram o seu mandato, e como tal gostaria de dar a todos os parabéns. Se o trabalho de alguns deles foi do meu agrado, outros bastante menos, no entanto a democracia é feita pela diferença de opiniões e há que valorizar quem dedica o seu tempo à comunidade. Uma palavra muito especial para os dois vereadores Pedro Gaspar e Manuel Colhe, com estilos diferentes e personalidades diferentes, fizeram um ótimo trabalho em prol dos alpiarcenses. Pelas mais diversas razões nem todos gostaram, no entanto Alpiarça saiu valorizada. Respeitaram o slogan fizeram que existisse Mais Alpiarça.

domingo, 24 de setembro de 2017

IP, Protecções e Confusões

Por: M. Ramos

Numa altura em que tanto se fala de "plágio" e "direitos de autor" parece que temos aqui mais um berbicacho para esclarecer. Perguntam alguns alpiarcenses sujeitos a estas notícias das redes sociais: Afinal, quem foi que mandou colocar os rails de protecção na estrada nacional 118 na recta da Gouxa?
A resposta é simples e é dada pelo próprio presidente da Câmara, na sua página do Facebook com ilustração fotográfica: "Colocação de rails de protecção na berma da EN118 na recta da Gouxa, entre a Gouxaria e a vila de Alpiarça, pela IP.
22.09.2017".
 
É claro que isto ( intencionalmente ou não) leva a uma série de equívocos que seriam desnecessários neste preciso momento. Momento de puxar galões, mostrar obra feita e influenciar os eleitores. Nem toda a gente domina siglas ou acrónimos. Bastaria o presidente da Câmara, Mário Pereira, em vez de ter colocado o acrónimo "IP" ter escrito por extenso "Infraestruturas de Portugal" e à partida a coisa estaria clara e não daria azo a confusões, respostas pouco polidas, atritos e achegas, conforme se constata a uma semana das eleições autárquicas. Nem o António Moreira se teria metido nisso, julgamos nós. Quanto à estrada de Vale Peixe é outra história que, nesta altura, não deve ser misturada com as obras da empresa Infraestruturas de Portugal. Nem pouco mais ou menos. O seu a seu dono. 
 
Nota: "A Infraestruturas de Portugal (IP) é a empresa pública que resulta da fusão entre a REFER, Rede Ferroviária Nacional, e a EP, Estradas de Portugal, empresas destinadas a gerir e administrar as infraestruturas ferroviárias e rodoviárias em Portugal, respetivamente.

sábado, 23 de setembro de 2017

Animação e grande participação popular no centro de Alpiarça


Animação e grande participação popular no centro de Alpiarça, na Praça José Pinhão, com o Arraial da paróquia de Santo Eustáquio. Ao longo da tarde/noite de hoje a comunidade alpiarcense e as diversas expressões artísticas, lúdicas e culturais do seu movimento associativo estão reunidas neste espaço, numa organização da Paróquia com a colaboração da Câmara Municipal e da Junta de Freguesia.
«MP»

sexta-feira, 22 de setembro de 2017

JS lança nova agenda para Poder Local

 Juventude Socialista lança uma “Nova Agenda para o Poder Local” emautarquicas.juventudesocialista.pt


·              “Nova Agenda para o Poder Local” pretende ser um documento progressista, reformista e de esquerda, assente em políticas de âmbito local que procurem dar voz à juventude portuguesa, correspondendo às suas legítimas expectativas e aspirações.
·              O documento perspetiva novas formas de fazer política, introduzindo novas ideias que inovem nos procedimentos de gestão, administração e planeamento
·              Lançada hoje a plataforma autarquicas.juventudesocialista.pt dá a conhecer a “Nova Agenda para o Poder Local” e os 44 jovens socialistas que se apresentam à disputa eleitoral do próximo dia 1 de outubro.


Lançada hoje, a plataforma autarquicas.juventudesocialista.pt não só dá a conhecer os jovens socialistas, candidatos à Presidência de 4 Câmaras Municipais e 39 Juntas de Freguesia, como também destaca a importância do papel das freguesias e municípios na coesão social e na promoção da igualdade e direitos sociais. Desenvolvido pela Juventude Socialista, em conjunto com a sua Associação Nacional de Jovens Autarcas Socialistas (ANJAS), o documento «Uma Nova Agenda Para o Poder Local», reúne ideias, propostas e boas práticas com que os jovens socialistas se apresentam à disputa eleitoral do próximo dia 1 de outubro.

Segundo Ivan Gonçalves, «a “Nova Agenda para o Poder Local”, pretende ser um documento progressista, reformista e de esquerda, assente em políticas de âmbito local que procurem dar voz à juventude portuguesa, correspondendo às suas legítimas expectativas e aspirações. Perspetivamos novas formas de fazer política, introduzindo novas ideias que inovem nos procedimentos de gestão, administração e planeamento e que, simultaneamente, desafiem o tempo presente e apresentem uma visão vanguardista para o desenvolvimento das nossas freguesias e municípios».

Nas eleições que se disputam a 1 de Outubro serão 44 os jovens socialistas que apostam numa nova forma de fazer política, respeitando o passado, sem deixar de acreditar na construção de um futuro que vá ao encontro das necessidades e ambições de todos os portugueses. «Valorizamos o poder local democrático porque sentimos que é pela base – em cada rua, bairro, freguesia ou município – que começa a luta para transformar a nossa sociedade. Agindo localmente, mas de forma enquadrada com a nossa agenda nacional, defendemos as nossas terras e conseguimos fazer a diferença, melhorando a qualidade de vida das populações e contribuindo para a resolução dos seus problemas quotidianos», acrescenta Ivan Gonçalves.


Sobre a Juventude Socialista
A JS é a estrutura de juventude do Partido Socialista (PS), gozando, nos termos dos seus estatutos, de plena autonomia de organização e de condução das suas opções políticas, em respeito pela Declaração de Princípios do PS.

PROGRAMA ELEITORAL DO PSD/ALPIARÇA: “UMA AUTÊNTICA DECEPÇÃO OU UMA VERDADEIRA DESGRAÇA”

Por: V. Vidigal

Pessoa amiga meteu-me debaixo do tapete da entrada da minha casa o “PROGRAMA ELEITORAL” dos candidatos do PSD/Alpiarça, dos quais alguns vieram do TPA e do PS e outros que continuam a andar aos trambolhões para conseguirem um lugar ao Sol.

Conheço quase todos que lá estão pelos quais tenho a maior consideração.

Mas estou estupefacto como aceitaram meter-se numa trapalhada destas ou de querem fazer de Alpiarça o “JARDIM DO RIBATEJO”.

Prefiro mil vezes a CDU ou o PS a tomar conta da minha terra mesmo fazendo dela uma “marasmo que o PSD a fazer de Alpiarça mais uma Aldeia do Ribatejo.

A minha terra não merece esta gente ou esta gente não conhece a minha terra.

Que decepção o programa do PSD e dos homens e mulheres que eu sempre acreditei serem capazes de fazer alguma coisa pela minha terra e agora vejo-os a mostrarem fotografias lindas de outras terras como se eu e os alpiarcenses acreditem que são de Alpiarça.

Nada de original e de uma pobreza franciscana as ideias desta malta do PSD.

E andam há anos a dizer mal do PCP quando não são capazes de apresentar ideias melhores.

Já fiz duas idas e duas voltas do Vale do Rato, onde moro, até aos Águias para ter a confirmação daquilo que li.

Todos me deram razão.

O PROGRAMA ELEITORAL DO PSD/ALPIARÇA É UMA DESGRAÇA.

“Esquece esse programa que não tem por onde se pegue e Deus nos livre virmos a ser um aldeia do Ribatejo. Mal por mal que sejam os comunistas a tomar conta da nossa terra”.

É verdade.

Vou por partes:

Proposta 1

Fazer um hotel na Praia da Patacão ou uma exploração turística:

Isto é de loucos.

Só algum louco faria um hotel no Patacão.

Proposta 2

“Resolver o lixo em Alpiarça”

Mudam-se os vasos mas as flores são as mesmas.

Proposta 3

“Mercado Municipal”

Nem comento tal é o lirismo que está escrito.

Proposta 4

Hortas Comunitárias.

O “Guru” do TPA, Francisco Cunha deixou-lhes como herança aquilo que nunca conseguiu levar avante mas  os ressabiados do “Todos Por Alpiarça” trouxeram a ideia de quem queria também ser presidente.

Ainda são piores do que o Tony Carreira a copiar as ideias dos outros. Apenas muda uma ou outra ideia.

Proposta 5

A Vala Real a que chamam também de Rio Alpiarçoilo como se ninguém saiba o que é ou onde fica a “Vala de Alpiarça.

Nada que se aproveite porque o que querem fazer praticamente já está  feito mesmo que seja de outra forma.

Proposta 6

Parque de Autocaravanas

Outra ideia vinda do TPA como se os caravanistas façam bicha nas ruas de Alpiarça em busca de um lugar.

Que proveito traria isto para o Concelho?

Proposta 7

Campo Aventura

As fotos que lá constam são de locais desconhecidos mas nenhum de Alpiarça e não apresenta ideias por ai além

Proposta 8

Devolver as ruas às pessoas.

Quase todas as imagens são de locais desconhecidos e a ideia não traz nada de novo.

Proposta 9

Clube de Código

Uma treta. Como se o Agrupamento José Relvas use ardósias ou que estejam parados no tempo como o PSD nos quer fazer crer.


Proposta 10.1

Zona Industrial - Modernizar + Promover * Atrair

O QUE MAIS ALPIARÇA PRECISA NÃO CONSTA NESTA PROPOSTA, A CRIAÇÃO DE:

Fábricas, Industria, aumento de emprego mas para os candidatos do PSD o que importa é não haver uma “charneca de ervas secas

O que mudaria, se esta gente ganhasse as eleições?

A colocação de letras garrafais com os dizeres

“PARQUE DE NEGÓCIOS”
É mais pomposo.

Proposta 10

Alpiarça. Com

Não perco tempo a comentar o que até os miúdos da escola já sabem que a Internet é o futuro

Mas ela já existe em Alpiarça meus senhores.

Proposta 11

Centro de Artes Criativas

Dizem os candidatos que “Mentes criativas são mentes brilhantes”.

Como se…sejamos todos uma cambada de burros e que não estejamos ou saibamos aproveitar e explorar o pouco que temos.

Esta ideia não traz nada de novo, excepto uns tantos nomes pomposos que em nada beneficiam o crescimento e desenvolvimento de Alpiarça.

Proposta 12

Apoiar o empreendedorismo.

O que Alpiarça precisa é de Empreendedores e em parte alguma do programa o PSD/Alpiarça diz onde estão os empreendedores para desenvolver Alpiarça.

Proposta 13

Valorizar a Cultura Musical.

Quanto a isto temos a “Música” e o Centro Cultural a desempenhar muito bem a missão que lhes está atribuída.

Até temos uma actividade desportiva da qual somos pioneiros no distrito e que estamos a dar muito bem conta do recado

Propostas: 14, 15, 16, 16.2, 16,3, 17.1, 17.2

Não merecem qualquer comentário de tão pobres serem

Proposta 18 

Festival de Inverno

UMA IDEIA A APROVEITAR

Propostas 19, 20 e 21 é uma área administrativa que não traz mais-valia alguma para o Concelho.

É isto que os senhores do PSD/Alpiarça, os vindos do TPA e outros do PS tem para apresentar aos alpiarcenses?

FRANCAMENTE…

São com estas ideias balofas que querem tirar Alpiarça do marasmo em que se encontra?

Cuidem-se!

Com vocês Alpiarça seria mesmo o “Jardim do Ribatejo”.

E é com flores que se desenvolve um concelho, que segundo vocês, é um “marasmo?

FRANCAMENTE…

Onde estão os vossos projectos, as vossas ideias para criar postos de trabalho em Alpiarça?

Que Investimentos vão procurar para o Concelho?

E apresentaram-nos vocês um “Programa Eleitoral” em “papel de luxo” como se fossemos todos uma “cambada de artolas”?

 Cresçam e apareçam.


Até lá deem uma volta ao bilhar grande porque a minha terra merece melhor

Colocação de rails na recta da Gouxa



Colocação de rails de protecção na berma da EN118 na recta da Gouxa, entre a Gouxaria e a vila de Alpiarça, pela IP.
«MP»

Parabéns ao CCBR




Parabéns ao CCBR


Faz hoje 5 Anos que estamos presentes em Alpiarça no antigo Cine-Teatro"Cinema" em Alpiarça 
Acreditar, Sonhar, sempre é possível... 
CCBR um projeto único no Ribatejo que faz a diferença...
Obrigada a todas as crianças, jovens e adultos, amigos, voluntários, pais e famílias pela força.
A todos os professores....
A todas as entidades de Alpiarça, Vale de Cavalos, Chamusca...
Gratos pela vossa preferência
Obrigado
CCBR
Centro Cultural Bruno Ramiro 
Bruno Ramiro

POLÍTICOS - Um Mal Necessário

Por: M. Ramos

Já alguém disse que os políticos são um mal necessário, em qualquer sociedade organizada que se preze.
Assim, teremos de os suportar alegremente pela vida fora.
E, pelos vistos, há por aí muitos seguidores.
Dizem que o que está a dar é ser político a tempo inteiro.
Qual professor, qual engenheiro, qual advogado!
Eles vão-se alternando no poder ao longo dos anos (segundo a vontade do povo, dizem eles) e lá vão arranjando uns tachitos aqui e ali para eles, para a família, para os amigos e amigos dos amigos, deixando cantar a carriça até à merecida reforma.
O tempo de contagem para a aposentação?
Então, é preciso ver que qualquer político tem uma profissão de desgaste rápido e, portanto, quanto menos tempo permanecer na atividade melhor para ele e...também para nós.
Por isso, a sua (precoce) reforma até se compreende. Doze anos de trabalho, é muito trabalho!
O esquema foi equacionado também a pensar nas vantagens e poupanças para os Hospitais Públicos, ADSE e Serviço Nacional de Saúde, pois claro. Menos tempo de trabalho, menor desgaste, menos probabilidade de doenças profissionais.
Seja como for, a política é desgastante e causadora de grandes males para estes trabalhadores. Talvez até mais desgastante do que o trabalho no deserto, no mar ou nas profundezas das minas. Daí estas medidas excecionais de proteção.
Sendo mesmo compreensível, para o intelecto do vulgar cidadão, que estes "profissionais" acumulem três e quatro reformas no final de carreira.
Coitados, deram tanto ao país que… mal parecia não serem recompensados pelo seu extraordinário esforço em prol da comunidade e da Pátria que os viu nascer. As lápides que encontramos pelas nossas ruas com os seus nomes demonstram bem a imensa gratidão do Povo. Mesmo que esses nomes, nada tenham a ver com os lugares desse mesmo Povo.

quinta-feira, 21 de setembro de 2017

ANTIGO CEMITÉRIO ENTREGUE AO DESMAZELO



É para admirar, que nenhum  dos candidatos a presidente da Câmara nas próximas eleições autárquicas, que se vão realizar no próximo dia 1 de Outubro, não tenham colocado nos seus programas eleitorais qualquer nota quanto ao desmazelo em que se encontra o antigo cemitério de Alpiarça.
A falta de conservação ou a solução para acabar com o abandono do velho cemitério é coisa que menos deve preocupar os candidatos porquanto o local que merece todo o respeito pelo local que é em si continuará num total abandono.
Quando não se respeita o terreno que guarda a memória de quem  fez parte de nós deixa de haver respeito pelo quer que seja.
As candidaturas dos fundos comunitários só devem existir para o que convêm.
Pobre Alpiarça que merecias melhor gente a cuidar de ti 
«NAAC»

quarta-feira, 20 de setembro de 2017

MOMENTO SIMBÓLICO NOS BOMBEIROS MUNICIPAIS DE ALPIARÇA



Momento simbólico nos Bombeiros Municipais de Alpiarça 

Oferta de um pólo ao operador civil pelo comandante Hugo Teodoro

«Texto e fotos de Sara Fábio Dias»

ALPIARÇA CONTINUARÁ A SER A “ALDEIA MAIS LINDA DO RIBATEJO” PORQUE TUDO VAI CONTINUAR COMO ESTÁ PELA SIMPLES RAZÃO DE QUE NADA MUDARÁ


Opinião de V. Vidigal



PROGRAMA ELEITORAL DA CDU PARA 2017/2021

Longo é o “PROGRAMA ELEITORAL” da CDU que acabou de chegar às minhas mãos.

Nele está bem explicito o que os eleitos pretendem fazer de 2017 a 2021, que quanto a mim é muito pouco

Destaco do programa o que considero mais importante:

Na área de Turismo:

A criação de um parque de autocaravanas no concelho;
A recuperação da Ponte do Casal Branco com a criação de um parque de merendas.

Na área do Desporto:

Criar um Parque de Petanca na zona da Albufeira dos Patudos:

Na área do “Comércio” da “Industria”, nas “Feiras” na “Cultura” no “Património” na “Juventude” no “Ambiente” no Urbanismo” na “Educação” e na “Saúde e Acção Social” pouco ou nada há a acrescentar que não exista já.

Para mais quatro anos de mandato isto não é nada.

É apenas um programa eleitoral muito pobre como pobre vai continuar Alpiarça




Saliento que neste programa há “temas” que já tem “barbas”, por exemplo:

A criação de um “Associação de Regantes” e uma “Associação de Produtores de Melão” que não é um novidade nenhuma e muito menos uma promessa eleitoral porquanto já o TPA tinha estas ideias como a CDU nomeadamente na associação de regantes cujo executivo, se não me falha a memória, chegou a reunir com o presidente da Câmara de Almeirim mas a “coisa” não deu em nada, excepto vir agora novamente à baila.

Saliento quando Rosa do Céu era presidente, se não estou em erro, no primeiro mandato, houve a tentativa de criar uma associação de produtores de melão mas abortou logo porque a “mensagem” não passou.

Isto dos “seareiros” alpiarcenses organizarem-se em associação é muito difícil derivado às mentalidades enraizadas nos mais idosos e nas gerações seguintes que tem uma certa dificuldade em repartir o que é deles ou receberem como herança.

Para não variar novamente o tema da recuperação da ALDEIA DO PATACÃO E DA RESPECTIVA PRAIA FLUVIAL.

Quanto à Aldeia do Patacão já nem as crianças da Escola acreditam.

Outra promessa, que eu como cidadão até me envergonho, é pavimentar a Estrada da Lagoalva e da Estrada da Gouxa/Gagos como se isto fosse uma coisa do outro mundo ou mereça constar como promessa eleitoral.

Em conclusão:

Não passamos disto.

Está mais que provado que Alpiarça continuará sendo a “ALDEIA MAIS LINDA DO RIBATEJO” porque tudo vai continuar como está.

Não estou a condenar, muito menos a criticar o fracasso do programa eleitoral da CDU mas apenas a dizer a verdade como verdade são os programas eleitorais de Sónia Sanfona e de Paulo Sardinheiro, de “uma pobreza franciscana”.

Continuo a manter a minha opinião:

Dos três candidatos a presidente da Câmara Municipal de Alpiarça nenhum apresenta mais-valias para o concelho e nenhum é “grande coisa” porque todos serão maus presidentes mas destes o melhor ainda continua a ser o candidato da CDU mesmo que também não seja nada por aí além.

terça-feira, 19 de setembro de 2017

MAVALTE: UMA EMPRESA ALPIARCENSE EM CRESCIMENTO

Amílcar Presúncia, Director da MAVALTE



A MAVALTE é uma empresa alpiarcense  que fabrica embalagens em papelão para empacotamento de frutas, legumes e outros géneros de produtos.

Está localizada na Rua C da Zona Industrial de Alpiarça e em franco crescimento.

O principal objectivo da MAVALTE é a fabricação de embalagens personalizadas de papelão cuja fábrica que abastece a empresa alpiarcense é uma das maiores da Europa e situa-se em Espanha.

A MAVALTE fornece os maiores empresas fornecedoras e distribuidoras de produtos alimentícios com destaque para a BaceFrut e a NUTRIGREEN.

Quando consumir produtos da marca “Origens” as caixas de embalagens foram feitas na Zona Industrial de Alpiarça.

A empresa alpiarcense está preparada para responder às diferentes necessidades dos mais variados clientes e factura anualmente cerca de cem mil euros


«Por: António Centeio»

segunda-feira, 18 de setembro de 2017

ARTIGO DE OPINIÃO: Debates

Por:
Rodolfo Colhe
Presidente da Juventude Socialista
de Alpiarça


Debates


Apesar de me parecer que a nível nacional as campanhas não têm tido uma grande intensidade, exceptuando alguns concelhos onde a intensidade está a um nível, de todo exagerada, onde muitas vezes a ferocidade se sobrepõe à qualidade ficando alguém a rir-se. Geralmente, esse alguém ou é quem está no poder ou são aqueles que optam por tácticas bastante distintas. Para não ser mal interpretado explico que nem tudo é mau e que, pessoalmente, tenho gostado de acompanhar algumas campanhas, não só pela forma séria como têm sido conduzidas, como também tenho apreciado os designs escolhidos por muitas candidaturas. Mas como indivíduo prático que sou, o mais importante para mim são as ideias, o conteúdo e a aplicabilidade, e é aqui que começa o problema das campanhas porque no papel é muito fácil, explicar directamente à população é bem mais difícil mas pôr em prática ainda mais. Como para colocar em prática é preciso ganhar, resta explicar directamente à população e é aqui que entram os debates. Correndo o risco de estar errado, parece-me que nestas eleições, comparativamente às de 2013, o número de debates aumentou significativamente e que principalmente e por via das redes sociais, o número de pessoas a quem chegam esses mesmos debates é bastante superior. Confesso que adoro a ideia de debates e que gosto muito de os ver, principalmente, os disputados apenas entre dois candidatos. Mas para que um debate aconteça é necessário ultrapassar uma série de pressupostos tais como, alguém pedir esse debate, sejam os próprios partidos ou a comunicação social (na minha óptica era isso que deveria acontecer). É necessária vontade dos partidos em sujeitar-se a esse escrutínio e é depois preciso entendimento sobre a forma como esse ou esses debates se iriam realizar. Com a aproximação da data das eleições e intensificar das campanhas e do número de debates, tem sido questionada a não existência de debates autárquicos em Alpiarça. Se os pressupostos que apresentei estiverem certos, resta perceber qual deles não foi cumprido, ninguém propôs o debate? As forças não têm vontade de ir a debate? Ou simplesmente faltou acordo na forma de realização do debate? Se ninguém propôs é bastante estranho e demonstra pouca vontade, se alguém recusou deve vir a público quem o fez, e está claro que se o problema foi falta de acordo também deveria ser público quem impediu o barco de chegar a bom porto. Seria de todo interessante perceber pelo menos, nas áreas estruturantes do poder autárquico o que cada um dos candidatos tem para dizer, também seria interessante saber por exemplo em questões como as da barragem qual é a posição que cada um tem em relação ao tema, turismo, acção social, captação de investimento e emprego entre muitos outros temas teriam de ser debatidos. Provavelmente, já estamos muito em cima da data para que seja marcado um debate, mas ainda estamos a tempo de perceber o porquê de ele não se realizar. Alpiarça é a Vila onde nasci e onde escolhi morar, mas é preciso muito, mas muito mais para voltarmos a estar ao nível onde devemos estar.

domingo, 17 de setembro de 2017

Bombeiros Municipais de Alpiarça


O nosso destino é traçado pelos nossos próprios pensamentos, e não por alguma força que venha de fora. O pensamento é a planta concebida por um arquitecto para construir um edifício denominado prosperidade. Que devo tornar o meu pensamento mais elevado, mais belo e mais próspero e com trabalho acredito que o destino tem uma força descomunal para nos colocar no lugar em que merecemos estar.
«Texto e fotos de Sara Fábio Dias»

quinta-feira, 14 de setembro de 2017

O "Águias de Alpiarça" vai estar em Festa


95º Aniversário do Clube está a chegar e no mês de Outubro o "Águias de Alpiarça" vai estar em Festa.
Esperamos a participação ativa de todos os sócios, praticantes, treinadores e amigos do Clube.
O programa completo está a chegar à sua caixa de correio.
Esteja atento!