.

.

.

.

quarta-feira, 24 de abril de 2019



REUNIÃO DA CÂMARA MUNICIPAL DE ALPIARÇA REALIZADA NO DIA 23 DE ABRIL DE 2019 NO AUDITÓRIO DOS PAÇOS DO CONCELHO
Estiveram presentes: Mário Pereira, Presidente da Câmara; Carlos Pereira, João Arraiolos, Alzira Agostinho (em substituição de Sónia Sanfona) e António Moreira, Vereadores.

segunda-feira, 22 de abril de 2019

NOVOS REGULAMENTOS AR

Francisco Oliveira, Pressentes da AR


A Águas do Ribatejo, E.I.M., S.A., submete à consulta pública, até dia 20 de maio de 2019, o Projeto de Regulamento do Serviço de Abastecimento Público de Água e o Projeto de Regulamento do Serviço de Águas Residuais Urbanas.
O regulamento de serviço, por ser um instrumento jurídico, constitui a sede própria para regulamentar os direitos e as obrigações da entidade gestora e dos utilizadores no seu relacionamento, sendo mesmo o principal instrumento que regula, em concreto, tal relacionamento. Estando em causa serviços públicos essenciais, é especialmente importante garantir que a apresentação de tais regras seja feita de forma clara, adequada, detalhada e de modo a permitir o efetivo conhecimento, por parte dos utilizadores, do conteúdo e da forma de exercício dos respetivos direitos e deveres.
Estas propostas de regulamento surgem em cumprimento da exigência Decreto-Lei n.º 194/2009 de 20 de agosto, da Portaria n.º 34/2011 de 13 de janeiro e do Regulamento n.º 446/2018 de 23 de julho, e da necessidade de atualização do regulamento de serviço atualmente em vigor.
Neste quadro, o Conselho de Administração da Águas do Ribatejo, E.I.M., S.A., aprovou o Projeto de Regulamento do Serviço de Abastecimento Público de Água e o Projeto de Regulamento do Serviço de Águas Residuais Urbanas e a sua submissão a consulta pública.
O período de consulta pública, que teve início a 3 de abril de 2019 e termina a 20 de maio de 2019 (inclusive), destina-se a recolher contributos de qualquer interessado. As sugestões devem ser enviadas por escrito, preferencialmente por correio eletrónico para o endereço geral@aguasdoribatejo.com, indicando em assunto "Consulta Pública – Projeto de Regulamento do Serviço de Abastecimento Público de Água” ou "Consulta Pública – Projeto de Regulamento do Serviço de Águas Residuais Urbanas ". Pode também entregar a participação numa das unidades de atendimento comercial da AR ou enviar por correio para Águas do Ribatejo, Rua Gaspar Costa Ramalho, nº38, 2120-098 Salvaterra de Magos.
Os projetos de regulamentos e o regulamento em vigor podem ser consultados na sede da Águas do Ribatejo em Salvaterra de Magos e na respetiva página de internet em:   www.aguasdoribatejo.com/regulamentos

30º Aniversário da Biblioteca Municipal de Alpiarça


sexta-feira, 19 de abril de 2019

SABIA QUE FOI UM ALPIARCENSE QUE DEU A CARA PELO SINDICATO DOS MOTORISTAS DE MATÉRIAS PERIGOSAS E QUE QUASE PROVOCOU O PÂNICO NOS PORTUGUESES?



É advogado. Não é camionista. Mas é vice-presidente de um sindicato de motoristas de camiões. Pedro Pardal Henriques tem sido, aliás, a cara do Sindicato dos Motoristas de Matérias Perigosas reivindicando, aos microfones e nas tvs, aumentos de salários e melhorias de condições de trabalho. Uma figura desconhecida, num sindicato desconhecido, legalizado há três meses, em janeiro de 2019. Um homem relativamente diferente dos que conduzem camiões, fato de escritório debaixo do colete laranja. Trouxe-o para a ribalta o êxito do protesto que provocou pânico nos portugueses sem combustível para ir à terra nas férias da Páscoa.

E, no entanto, poucos levantaram um sobrolho quando o seu nome era anunciado como advogado e vice-presidente de um sindicato que não tinha nada a ver com advocacia. Nem quando chegou aos protestos, a Aveiras, num Maserati preto. Mas houve quem tivesse levantado, não apenas um sobrolho, mas dois, de espanto, ao ver Pedro Pardal Henriques em todas as televisões. Os que o conheciam das suas outras vidas, enquanto advogado, enquanto homem de negócios, enquanto membro da Câmara do Comércio e Indústria Franco Portuguesa. E que não tinham dele a melhor das memórias.

"Trabalho com tudo o que está ligado aos negócios." Esta citação é a uma das primeiras referências que aparece a quem faz uma busca sobre Pedro Pardal Henriques. Disse-o enquanto "português de valor de 2018", um prémio da Lusopress, um projeto de media sediado em Paris e dirigido aos emigrantes portugueses. No pequeno perfil publicado a propósito daquele prémio, é descrito como tendo nascido em 1978, em Alpiarça, "ligado desde sempre à comunidade portuguesa, principalmente à que vive em França", e que "vive entre Portugal e França." Nenhuma referência a camiões cisterna ou à atividade sindical.




Queixas em França

Os que o conhecem de França foram os mais surpreendidos com as recentes aparições televisivas. Terá sido na comunidade portuguesa da Côte d"Azur que Pardal Henriques deixou memória negativa e muitas queixas. Ninguém consegue traçar muito bem o início de toda a história, mas Pardal Henriques ter-se-á aproximado, enquanto advogado, da sucursal da Câmara de Comércio e Indústria Franco Portuguesa na região de Provence-Alpes-Côte d'Azur, uma entidade reconhecida pela Rede das Câmaras de Comércio para ajudar portugueses a investir em França.

A relação tornou-se foi tão forte que o advogado acabou por entrar nos órgãos dirigentes - ainda hoje tem a fotografia na página, como administrador. Isso significava que quando era preciso algum trabalho de advocacia, os seus préstimos eram os usados. Depois dessa aproximação, garante um dos membros da Câmara de Comércio, "utilizou isto tudo, para se aproximar das autoridades, dos artistas, dos empresários importantes".

Foi então que começaram os problemas. Como advogado, terá falhado compromissos, jurídicos e de negócios. Não terá feito serviços para os quais foi pago. É conhecido o caso de um trabalho de contabilidade e fiscalidade para uma empresa de construção que se queria instalar em Portugal. "Não fez nada", conta o queixoso, que teve de contratar outra empresa, depois de ter pago a Pardal Henriques uma avença mensal. Haverá, também, outras queixas relacionadas com problemas de propriedades em Portugal - nomeadamente valores que lhe terão sido entregues para determinados serviços e não terão sido aplicados. As vítimas serão tanto franceses como portugueses em França.

"Ele foi mau para Portugal, prejudicou a nossa imagem, que é uma imagem bonita aqui, é um problema para o país e o país não precisa de problemas", diz um membro da comunidade, com palavras que soam mais fortes por serem ditas por um emigrante. Foi por intermédio destas ligações na comunidade portuguesa do sul de França que Pardal Henriques ganhou a tal distinção de "português de valor 2018" que lhe permitiu um contacto com "muitas pessoas importantes e autoridades", nomeadamente o Presidente Marcelo Rebelo de Sousa, com quem tirou uma fotografia que usa amiúde - até no vídeo de apresentação da sua empresa de advocacia.

Porquê a camionagem?

Há uma pergunta que fica por responder: porquê a ligação aos motoristas de substâncias perigosas? No Linkedin de Pedro Pardal Henriques não surge ainda menção à camionagem e ao sindicato que o colocou nas TV e nos jornais ou à Associação Nacional dos Motoristas de Matérias Perigosas que deu origem ao sindicato, fundada em 2017 e da qual era já secretário da mesa da Assembleia Geral.

O que ali está é o nome da sua nova sociedade de advogados - International Lawyers Associated. Tem sede em Lisboa, na Avenida Visconde de Valmor - a anterior tinha sido criada no Porto, onde ele tirou advocacia, em 2014, já com 36 anos, segundo a sua página, pública, no Facebook. "Agora que se aproxima o último dia de aulas", escreve a 2 de junho de 2014, "queria agradecer aos meus professores da faculdade de direito da Universidade Lusófona do Porto pela paciência que tiveram para me ensinar." No Linkedin, porém, afiança ter concluído a licenciatura em 2010 e estabelece o início da atividade como advogado nesse ano, embora no site da Ordem dos Advogados surja como detendo cédula profissional (com o número 57078P) apenas desde junho de 2017. Segundo documentos da Ordem, terá feito o estágio no Porto em 2015.

Na empresa de advocacia apresenta-se como "fundador" e "responsável pela área do Direito dos Negócios, que inclui o Direito Fiscal, Financeiro, Comercial, do Investimento e dos Investidores, a nível nacional e internacional, quer nos Países da Língua Oficial Portuguesa, com especial destaque para Brasil e Cabo-Verde, quer nos países francófonos, com especial destaque para a França onde exerce funções de administrador da Câmara do Comércio e Indústria Franco Portuguesa na zona de Provence des Alpes et Côte d"Azur."

Este pendor internacional está presente, também, nos vídeos que publica no You Tube a apresentar a empresa. "Temos mais de 125 parceiros espalhados por 24 países no mundo, seremos provavelmente o maior escritório de advogados em Portugal no âmbito internacional", garante o advogado num dos vídeos. Uma das especialidades da sociedade, certifica, é ajudar estrangeiros a obter Vistos Gold ou Golden Visa e a legalizarem-se em Portugal.

"É muito incomum"

O escritório de Pedro Pardal Henriques tem a mesma morada da sede do Sindicato dos Motoristas de Matérias Perigosas, nas Avenidas Novas, em Lisboa. O número de telefone fixo é o mesmo. Aliás, quando se liga para o número do Sindicato, quem atende responde "Sociedade de Advogados". Depois, explica que é o "apoio jurídico" do sindicato e encaminha a chamada para o Dr. Pedro Henriques. O Sindicato tem uma outra morada, da delegação centro, em Aveiras de Cima.

Um currículo, o de Pardal Henriques, que não se esperaria encontrar num vice-presidente de um sindicato de camionistas. E uma situação que o advogado Garcia Pereira, especialista em Direito do Trabalho, considera "muito incomum". E explica: "De um modo geral a capacidade eleitoral passiva - ou seja, quem pode ser eleito - é recrutada dentro da capacidade eleitoral ativa. Normalmente é assim, e a capacidade eleitoral ativa e passiva, definida nos estatutos, é a dos trabalhadores representados pelo sindicato."

A face do novo sindicalismo, fora das centrais sindicais, fora dos partidos, independente? O ex presidente da CGTP e especialista em matéria sindical Manuel Carvalho da Silva manifesta perplexidade com a situação do advogado líder de um sindicato de camionistas. "É fora do comum, sim. Antigamente, em particular antes do 25 de abril, por uma questão de eficácia, havia pessoas que eram secretárias-gerais dos sindicatos que não eram da atividade. Mas depois do 25 de abril não conheço casos destes. Pode ter havido algum discretamente, mas não de forma tão patente." E reflete: "Podia acontecer ser um sindicato já estruturado e ter lá um advogado muito ativo no terreno e os dirigentes terem criado uma exceção para ele. Mas ele surge como criador do projeto, desde o início."

Nos estatutos do Sindicato dos Motoristas de Matérias Perigosas, a situação está defendida. As regras dizem que podem "fazer parte da Associação Sindical as pessoas" que "exerçam a atividade de motorista de matérias perigosas", ou "tenham exercido a atividade de motorista de matérias perigosas, e que pela prática de atos relevantes, contribuam para o prestígio e desenvolvimento da Associação" e "desenvolvam atividades de interesse ou interligadas com os objetivos e fins da Associação".

Outras atividades

Pedro Pardal Henriques não começou na advocacia. A sua anterior atividade foi na empresa Bornscore, "certificada para a prestação de serviços de medicina do trabalho", sediada em Vila Nova de Gaia e da qual, no seu Facebook, se apresenta em 2010 como "diretor". O que bate certo com o facto de no perfil da Lusopress se dizer que Pedro Pardal Henriques, enquanto "estudante e jovem empreendedor" constituiu "empresas no ramo da saúde ocupacional". Comenta o próprio: "Foi uma mais-valia porque não tive um percurso normal de um estudante de Direito."

Pedro Pardal Henriques é também sócio do Sporting, condição na qual pediu a Paulo Afonso Ramos para escrever no seu blogue Banco de Suplentes, onde também escrevia Bruno de Carvalho.

Houve outro lugar onde a presença de Pedro Pardal Henriques nas televisões causou surpresa: na rede de networking de empresários de que faz parte, a Business Network International, BNI. Nenhum dos outros membros do seu grupo no BNI o conhecia como "próximo de camionistas". Aliás, os seus colegas do grupo que se chama "Acreditar", conhecem-no como um advogado de sucesso e de negócios, os suficientes para chegar sempre aos encontros com o seu "carrão", como dizem, o tal Maserati preto que, soube o DN, é alugado a uma empresa de leasing.
«Fonte: DN»

terça-feira, 16 de abril de 2019

Pinturas no muro do Jardim Municipal de Alpiarça





As pinturas existentes no muro do Jardim Municipal de Alpiarça que retratam factos históricos daquele lugar, estão a deteriorar-se por motivo de - segundo os entendidos - as paredes não terem sido devidamente tratadas para o efeito.
«De: Manuel Dacosta»

segunda-feira, 15 de abril de 2019

Visita ao Palácio de Mafra | Município de Alpiarça, Comunidade de Leitores


ARTIGO DE OPINIÃO: Europeias ou antecâmara das legislativas?

Por:
Rodolfo Colhe

Europeias ou antecâmara das legislativas?

Se há coisa que se exige a um candidato é respeito pelos eleitores, apresentando propostas, falando daquilo a que vai e demonstrando os seus objetivos caso seja eleito.

Só deve ser candidato seja ao que for quem se sentir movido e qualificado para um cargo e nunca estando centrado em outros combates e disputas, porque se assim for qual é a razão de votar nesse candidato?

Claramente falo do candidato do PSD às Eleições Europeias, a campanha de Paulo Rangel centra-se em exclusivo no ataque ao governo e zero nas suas ideias ou no seu trabalho, porque será? Será por o seu trabalho não ser de relevo ou simplesmente porque o populismo já está tão enraizado neste PSD que é difícil deixar essa retórica? Diria que um pouco dos dois juntamente com a possibilidade de uma derrota histórica nas legislativas aterroriza o PSD que sabe os problemas que podem vir daí.

Diria que as legislativas estão a marcar demais as Europeias, diria até que nenhum partido está a conseguir isolar na perfeição as eleições europeias, sendo óbvio que esse isolamento não é pretendido por todos, afinal por que razão apresentou o CDS os seu candidatos às legislativas se não para antecipar a campanha das legislativas e debater o menos possível a europa?

Num momento em que o projeto europeu está a sofrer transformações que tornam difícil prever o seu futuro com o crescimento dos movimentos de extrema-direita e com processos tão sensíveis como o Brexit em mãos é inadmissível que se olhe para as eleições europeias como uma mera antecâmara das legislativas. Portugal tem a responsabilidade de estar na Europa de forma afirmativa e participativa e deve assumir em todos os momentos que o nosso lugar é lá.

Acho que em relação às Europeias se vão passar cenários interessantes com a Aliança e com André Ventura, e não é por acaso que me refiro a um projeto pelo nome e a outro pelo seu cabeça de lista. Na minha opinião a Aliança quer ser mais que o partido de Pedro Santa Lopes e está a tentar criar uma equipa para isso, já o Chega ou Basta mais não são do que o nome do projeto de um só protagonista. Se a Aliança ainda arrumar a casa pode não conseguir mostrar o que vale, a ligação de André Ventura com o Partido Popular Monárquico, o Partido Cidadania e Democracia Cristã e o Democracia 21 pode ser interessante de analisar mesmo não elegendo nenhum Eurodeputado, principalmente porque acho que há mais monárquicos do que os que votam geralmente no PPM e porque infelizmente também acho que á boleia da desinformação cresceu significativamente o número de pessoas com dificuldade em lidar com as minorias. 

Espero sinceramente que este mês e meio que falta sirva para esclarecer os eleitores e para valorizar o espírito do projeto europeu.

sábado, 13 de abril de 2019

INAUGURADO O PRIMEIRO LABORATÓRIO MÓVEL DE INOVAÇÃO E APRENDIZAGENS PELA CIÊNCIA, TECNOLOGIA, ENGENHARIA E MATEMÁTICA DO PAÍS




Realizou-se no passado dia 12 de Abril a cerimónia oficial de inauguração do primeiro Laboratório Móvel de Inovação e Aprendizagens pela Ciência, Tecnologia, Engenharia e Matemática (CTEM) em Portugal, nas instalações da Comunidade Intermunicipal da Lezíria do Tejo (CIMLT), em Santarém.
O Laboratório Móvel de Inovação e Aprendizagens pela Ciência, Tecnologia, Engenharia e Matemática (CTEM), integrado no Plano Integrado e Inovador de Combate ao Insucesso Escolar da Lezíria do Tejo (PIICIE LT), consiste num autocarro transformado, no qual serão desenvolvidas atividades e experiências inovadoras, planificadas e dinamizadas pelos Professores, tendo como público alvo crianças e jovens do pré-escolar ao ensino secundário. O Laboratório Móvel de Inovação e Aprendizagens CTEM irá circular pelos 19 Agrupamentos de Escolas integrados no PIICIE LT.
Neste laboratório de aprendizagem, os alunos irão encontrar diversas áreas de trabalho, tais como ciências, robótica, fabricação digital – impressora3D, drones, mecânica, realidade aumentada, entre outras. Através da experimentação pretende-se fomentar a inovação e criatividade, aliando as tecnologias às ciências.
Deste modo, pretende-se incentivar as aprendizagens por meio de experiências práticas e promover o desenvolvimento de capacidades para o século XXI, tais como pensamento crítico, criatividade, colaboração, resolução de problemas, comunicação, responsabilidade, autoconfiança, literacia digital e empreendedorismo.

Saiba mais sobre o PIICIE LT - Plano Integrado e Inovador de Combate ao Insucesso Escolar da Lezíria do Tejo em http://www.cimlt.eu/…/plano-integrado-e-inovador-de-combate….
CIMLT/CMA

REUNIÃO DA CÂMARA MUNICIPAL DE ALPIARÇA REALIZADA NO DIA 12 DE ABRIL DE 2019 NO AUDITÓRIO DOS PAÇOS DO CONCELHO

PERÍODO DE ANTES DA ORDEM DO DIA 


O Presidente da Câmara e os Vereadores abordaram diversos assuntos de interesse municipal.


PERÍODO DA ORDEM DO DIA

Ponto 1 – Ata para apreciação e votação.
Proposta de Ata n.º 06/2019 - Reunião realizada no dia 29/03/2019
Aprovada por unanimidade.

Ponto 2 – Bombeiros DECIR – Dispositivo Especial de Combate a Incêndios Rurais.
Município de Alpiarça
Para Conhecimento: Foi dado conhecimento.

Ponto 3 – Proposta - Aprovação das Estratégias Municipais de Adaptação às Alterações Climáticas
(EMAAC).
Aprovado por unanimidade. 
Remeter à Assembleia Municipal

Ponto 4 – Proposta de Coordenadora Técnica – Programa de Contratos Locais de Desenvolvimento Social 4ª Geração (CLDS-4G).
Aprovado por maioria, com a abstenção dos vereadores do PS.

Ponto 5 – Protocolo de Colaboração entre o Município de Alpiarça e a Freguesia de Alpiarça –
Instalação da CPCJ.
Aprovado por unanimidade.

Câmara Municipal de Alpiarça 
13 de Abril de 2019

Estiveram presentes: Mário Pereira, Presidente; Carlos Pereira, João Arraiolos, Alzira Agostinho (em substituição de Sónia Sanfona) e António Moreira, Vereadores.

NOVO GABINETE DE ESTETICISTA E ESTILISTA DE UNHAS




Abriu hoje um novo gabinete de esteticismo e estilismo de unhas


Situado  na Rua Luís de Camões n.º 64, em Alpiarça, o  "Sandrine Estétika e Estilista de Unhas"  está pronto para pintar as unhas de cores diferentes se for este o desejo da cliente.

Um gabinete com novas técnicas na  aplicação de unhas de gel ou extensões onde poderá mudar a qualquer  altura o design das suas unhas e com manutenção  simples.



O gabinete  "Sandrine Estétika e Estilista de Unhas"  usa as técnicas mais inovadoras do mercado para que possa  satisfazer  o gosto de todas as clientes.

Vá até ao novo gabinete onde Sandrine Alves terá todo o prazer em recebê-la com novas novidades.

Saliente-se que a Empresária teve durante alguns anos um gabinete em funcionamento  na Rua Dr. Queiroz Vaz Guedes.

sexta-feira, 12 de abril de 2019

Programa 25 de Abril 2019 Município de Alpiarça


ESTATUTO DO ANTIGO COMBATENTE

Por:
Manuel da Costa


Mais de 40 anos depois (!) fomos finalmente ouvidos pelos políticos que nos abandonaram. Faltando, no entanto, resolver a trapalhada da "esmola", complemento de guerra que foi atribuído de forma confusa, injusta e desordenada que ninguém entende. Sobretudo aqueles que estiveram no mesmo palco de guerra cumprindo o mesmo tempo de serviço 

(em zona 100% de mato) e com complementos diferenciados de: 50, 70, 100, 150 Euros no mês de Outubro de cada ano, sendo que outros NADA recebem!
Orgulho-me de pertencer às muitas vozes que se ergueram ao longo de anos, nesta reivindicação justa e patriótica dos ex-combatentes. Vou de certo modo, dormir um pouco mais descansado. Espero que tudo isto, não venha sub-repticiamente a ter o habitual aproveitamento político do costume.


"Aprovada proposta de lei relativa ao Estatuto do Antigo Combatente

Foi hoje aprovada (11/04/2019) em Conselho de Ministros a proposta de lei relativa ao Estatuto do Antigo Combatente que consubstancia o reconhecimento do Estado Português aos militares que combateram ao serviço de Portugal, fornecendo o enquadramento jurídico que lhes é aplicável e reunindo numa só peça legislativa o conjunto de direitos consagrados pela Lei aos ex-militares ao longo do tempo.
O dia 11 de novembro - data do armistício que pôs fim à I Guerra Mundial - é definido como o Dia Nacional do Antigo Combatente.
O Estatuto do Antigo Combatente cria novos instrumentos, como o Plano de Apoio aos Antigos Combatentes em situação de sem-abrigo, destinado a apoiar o envelhecimento digno e acompanhado daqueles que serviram o país em teatros de guerra e incorpora instrumentos já existentes de apoio económico e sociais desenvolvidos pelo Ministério da Defesa Nacional com resultados comprovados, como a Rede Nacional de Apoio, o Plano de Ação para Apoio aos Deficientes Militares e o Centro de Recursos de Stress em Contexto Militar.
O diploma estabelece ainda a criação de uma Unidade Técnica Interministerial para os Antigos Combatentes - que tem como missão coordenar a implementação do Estatuto - assim como o Cartão do Antigo Combatente, um documento pessoal e vitalício que, além do carácter simbólico, constitui um instrumento de simplificação do acesso a direitos sociais e económicos consagrados na legislação portuguesa.
O universo de Antigos Combatentes – definido pela Lei 9/2002 (alterado em 2004 e 2009) – é actualmente de cerca de 485 mil cidadãos, com uma média de idades de 72 

7 MARAVILHAS DOCES DE PORTUGAL | EDIÇÃO 2019








O Município de Alpiarça submeteu duas candidaturas de doces tradicionais de Alpiarça ao concurso das "7 Maravilhas Doces de Portugal".
Vamos enaltecer as nossas origens, destacar a nossa doçaria e mostrar que preservamos a qualidade e autenticidade dos nossos produtos. A doçaria de Alpiarça é merecedora de toda a nossa dedicação.
Anunciamos aqui os nossos doces nomeados:
> Na categoria "Doce de Colher e Doce à Fatia" - PATUDOS
> Na categoria "Biscoitos e Bolos Secos" - ESSES DE AMÊNDOA
Fique atento às novidades...
7 Maravilhas Doces de Portugal:
https://7maravilhas.pt/
«CMA»

quinta-feira, 11 de abril de 2019

ISTO É: ALPIARÇA NO SEU PIOR





DESLEIXO;

ESQUECIMENTO;

ABANDONO...

Chamem-lhes   os nomes que quiserem mas..

É puro desleixo da autarquia que continua a mostrar uma certa incapacidade para cuidar da limpeza  dos passeios alpiarcenses.

Como o  desleixo continua a existir na limpeza dos passeios;

Quanto a limpeza nos passeios  os Serviços Camarários deixa muito a desejar;

Ou então o responsável pelos serviços de Higiene e Salubridade não deve andar pelas ruas de Alpiarça.

Que os eleitos não se esqueçam que esta Urbanização é muito frequentada por crianças que brincam nos passeios,
.
Também não se esqueçam do perigo das carraças para com as crianças 



Local: Urbanização do Casal dos Gagos

#BiblioCiberCode



quarta-feira, 10 de abril de 2019

Estudantes de Alpiarça visitaram instituições europeias




Dois alunos e uma professora do Clube Europeu da Escola José Relvas, em Alpiarça, estiveram em Bruxelas entre os dias 3 e 5 de abril, no âmbito de uma visita às instituições europeias promovida pelo Centro Europe Direct Oeste e Lezíria do Tejo.



A professora que coordena o clube, Virgínia Esteves, e os alunos Bernardo Lázaro e Afonso Graça, dos 8º e 9º anos, respetivamente, estiveram integrados num grupo de 30 participantes, entre outros professores e alunos, coordenadoras de bibliotecas escolares e municipais, e ainda jornalistas, que visitou os locais mais emblemáticos da União Europeia na capital da Bélgica.
Durante os três dias, o grupo visitou a Casa da História Europeia, a Comissão Europeia, onde assistiram a várias sessões e participaram num almoço onde esteve o Comissário Europeu Carlos Moedas, e o Parlamento Europeu, onde assistiram a uma apresentação sobre esta instituição e conheceram deputada Marisa Matias.
Os alunos alpiarcenses “tiveram a oportunidade de conhecer a realidade das instituições europeias, passando do virtual para o real, uma aprendizagem sobre o funcionamento e o poder de cada uma das instituições visitadas, uma experiência única pelos locais visitados, pela informação das sessões, pelo contacto com atores da realidade da União Europeia”, salienta Virgínia Esteves, que, enquanto professora, diz considerar “este tipo de atividades muito importantes”.
“Foram três dias intensos de aprendizagem sobre a União Europeia, contacto direto com a realidade belga, proporcionando excelentes momentos de convívios entre os participantes, visita ao centro histórico e locais turísticos desta bela cidade”, acrescenta ainda a docente da escola de Alpiarça, vila que esteve ainda representada neste grupo pelo coordenador interconcelhio das biblioteca municipais, Rui Gaspar, e pela coordenadora interconcelhia das bibliotecas escolares, Filomena Rubio.
«Rede Regional»

segunda-feira, 8 de abril de 2019

ARTIGO DE OPINIÃO: Famílias na vida política

Por:
Rodolfo Colhe

Famílias na vida política

Como é sabido da esmagadora maioria das pessoas que leem o que eu escrevo, o meu avô foi um reputado militante do PCP, reputado líder da classe operaria quando não era para todos, o meu pai um crónico possível candidato durante vários anos e em 2013 candidato a vereador, é este o mote para o meu artigo.

Dos muitos perigos que a democracia enfrenta, a demagogia e a tentativa de destruir o sistema político ou de pelo menos torná-lo o mais anárquico possível é dos mais perigosos, certamente isso serviria muito bem a vários interesses de vários interessados na falta de regulação.

Nas últimas semanas assistimos a um ataque quase sem precedentes, e só é quase porque já em 1992 o jornal “O Independente” dava conta das mulheres de ministros que ocupavam lugares de nomeação durante os mandatos de Aníbal Cavaco Silva, o mesmo senhor que hoje acha a prática “indecorosa”. Mais uma vez calado seria um poeta. (https://poligrafo.sapo.pt/politica/artigos/familygate-governo-de-cavaco-silva-tinha-15-mulheres-de-ministros-e-de-secretarios-de-estado)

Há que assumir algo muito concreto, os lugares de confiança política são exatamente aquilo que o nome diz, não são tachos para tios, primos, netos ou mulheres são locais onde os governantes querem pessoas em quem podem confiar vivamente tanto do ponto de vista técnico, como ideológico e da não divulgação de informação entre outros, e esses lugares podem ser ocupados por tios, primos, netos ou mulheres de algum outro governante se reunirem esses requisitos.

Há uma informação da qual talvez nem todas as pessoas estejam cientes, a subida na hierarquia política é tramada, são muitas horas, muitas noites sem dormir, muitas viagens e muito sapos engolidos e isso leva a que muitas relações comecem nas juventudes partidárias enquanto um vai puxando pelo outro até que um dia um chega lá e o cônjuge perde a sua oportunidade de estar na linha da frente restando-lhe o trabalho de bastidores, e olhem que nem sempre é o melhor que lá chega. Tal como muitas médicas casam com médicos, muitas atrizes com atores muitas políticas casam com políticos
.
A discussão que tem acontecido é pura demagogia sem interesse para a sociedade e muito menos para a democracia, a questão é outra, porque é tão difícil crescer dentro dos partidos? Porque estão os partidos tão fechados?
Essas questões devem sim ser respondidas para bem de uma mudança de paradigma que se impõem a bem dos princípios de abril. Estou certo que um dos principais passos será a intensificação do sentido de cidadania, mostrar o que seria o mundo sem políticos e políticas de ação, mostrar que isto de andar na política não é nenhum bicho-de-sete-cabeças.

Voltando ao meu mote inicial deixo algumas questões, tenho eu menos legitimidade por o meu avô e pai serem reconhecidos pela sua atividade política? Se o meu avô tem exercido um cargo de Vereador ou Presidente de Câmara e têm nomeado o meu pai para um cargo de chefia (que ainda hoje é a sua carreira profissional sem que o seu pai tivesse feito por isso) ou de confiança política (que exerceu sem ajuda do seu pai) teria sido assim tão errado? E se um dia eu exercer um cargo de Vereador ou Presidente de Câmara e optar por colocar o meu pai como chefia ou em nomeá-lo, isso estaria assim tão errado? A maioria penso que responderia não a todas as questões pois conheciam o meu avô e conhecem o meu pai, então por favor não façam um raciocínio diferente só por não conhecerem as pessoas.

domingo, 7 de abril de 2019

WORKSHOP/FORMAÇÃO "CUIDADOS A TER COM O SOL"


Realizou-se no passado dia 5 de Abril no Auditório da Câmara Municipal de Alpiarça um workshop/formação "Monitores amigos do Sol", com relevo para a exposição solar das crianças em contexto de OTL e CAF, organizado pela Liga Portuguesa Contra o Cancro, que contou com a participação dos funcionários da Câmara que trabalham com crianças e os Escuteiros de Alpiarça..
«CMA»

VINHOS E PRODUTOS DE ALPIARÇA PROMOVIDOS EM ESPANHA PELOS ALUNOS E PROFESSORES DO AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE JOSÉ RELVAS no âmbito do projecto ERASMUS+ " ATRÉVETE A EMPRENDER"




Este Projeto teve a primeira atividade com alunos o ano passado, em Portugal, e terminou agora no país coordenador que é a Espanha.

O Projeto tem como parceiros Croácia, Itália, Espanha, Grécia, Polónia e Portugal, tendo existido mobilidades com alunos em todos os países. 
Na semana em que foi dado por finalizado o trabalho, os diferentes países participaram numa Feira, na vila de Hellin, em que cada um divulgou o seu produto - o de Alpiarça foi o vinho. Nas malas todos os alunos levaram os produtos - vinhos, doçaria tradicional e artigos e folhetos promocionais - para serem divulgados na tenda de Alpiarça.

«CMA»

sexta-feira, 5 de abril de 2019

ÁGUAS DO RIBATEJO CONSOLIDOU CRESCIMENTO SUSTENTADO EM 2018



ÁGUAS DO RIBATEJO terminou o exercício de 2018 com um resultado líquido de 1.676.155,00 €. Os proveitos serão aplicados em investimentos e na melhoria do tarifário para famílias numerosas e carenciadas.
Relatório de Gestão e Contas de 2018 foram aprovados por unanimidade na assembleia geral de 28 de março após apreciação nos sete municípios que integram a AR: Almeirim, Alpiarça, Benavente, Chamusca, Coruche, Salvaterra de Magos e Torres Novas.
Pedro Ribeiro, Presidente da Assembleia Geral da AR congratulou-se com os resultados obtidos. “Este relatório mostra que a AR foi uma excelente opção e continua no bom caminho para garantir a sustentabilidade económico-financeira assegurando serviços de qualidade aos clientes, consumidores e utilizadores”, referiu o Presidente da Câmara de Almeirim.   
Ainda assim, a AR regista-se uma quebra de 22% no resultado líquido, em relação ao ano anterior, que teve a ver com a redução do volume de negócios e dos subsídios.
Em 2018, os volumes de água e água residual faturados registaram uma descida de 6,5% e 3,5%, respetivamente.
Os primeiros meses do ano de 2018 registaram níveis de precipitação muito acima do normal, o que se traduziu num decréscimo significativo da água produzida e faturada.
“Se do ponto de vista das disponibilidades hídricas esta situação é favorável, já no que se refere às receitas geradas pela empresa a situação é a inversa. Foi possível ainda assim manter um nível de resultados positivo, consolidando a situação económico-financeira da empresa”, refere o Presidente do Conselho de Administração, Francisco Oliveira, citando o relatório e contas.
No ano de 2018, a AR subiu o número de clientes do serviço de abastecimento e saneamento. Atualmente a AR terminou o exercício com 75630 clientes mais 391 que no ano anterior, contrariando uma tendência para a redução de clientes.

A Dívida Líquida Financeira registou uma descida superior a 4%, muito por força da diminuição dos custos dos financiamentos externos obtidos para concretização das empreitadas, que se traduziu no decréscimo do Passivo Não Corrente, em comparação com o período homólogo.
Os níveis de Autonomia Financeira e de Solvabilidade melhoraram quando comparados com os do período homólogo, “significando que a capacidade da empresa para fazer face aos seus compromissos é hoje maior do que no passado”, refere o Presidente Francisco Oliveira.

Plano de Investimentos da AR prevê a concretização de 21,5 ME até ao final de 2021
em operações nos sistemas de tratamento de águas residuais e nos sistemas de abastecimento de água.
As intervenções para construção de novos equipamentos e infraestruturas serão financiadas pelo programa europeu POSEUR PORTUGAL 2020, ainda assim, exigem um enorme esforço financeiro da empresa com recurso à banca e a capitais próprios.
Todavia, algumas intervenções de ampliação e requalificação de sistemas serão realizadas apenas com capitais da AR.

Na Assembleia Geral ficou vincada a necessidade de sensibilizar os clientes para se ligarem às redes de saneamento de modo a não comprometer o funcionamento das infraestruturas e equipamentos construídos e a garantir a sustentabilidade dos sistemas.
Foi ainda manifestada preocupação em relação à anunciada seca no período de Verão que vai exigir o reforço das campanhas de informação e sensibilização para o uso eficiente da água e combate ao desperdício.
A AR vincou o compromisso de reduzir as perdas de água, que no final de 2018 eram de 32%, valor abaixo da média nacional, mas ainda longe do objetivo dos 20%. 

RESUMO DOS Dados Económico-Financeiros


DEZEMBRO

DEZEMBRO

Var.



2018

2017

%

Volume de Negócios (1)
 
15.938.844
 
16.461.031
 
-3,17%

EBITDA (2)
 
8.525.235
 
9.733.396
 
-12,41%

Res. Antes Impostos
 
2.213.130
 
2.862.074
 
-22,67%

Resultado Líquido

1.676.155

2.166.172

-22,62%

Valores em euros
      

       

(1) Vendas + Prestação de Serviços
     
(2) Resultado Operacional + Amortizações + Provisões

Medalha de Mérito Desportivo Coletivo atribuído pela Câmara Municipal de Alpiarça à Secção de Patinagem de Velocidade da Sociedade Filarmónica Alpiarcense 1o de Dezembro



Começámos em 2015, também em Abril, com pequenas atividades de demostração e divulgação desta modalidade. Desde esta altura que esta dinâmica está presente e nunca se perdeu, graças às várias pessoas que foram fazendo parte da secção. O que conseguimos alcançar até ao momento, foi obra e graça do esforço conjunto da secção, pais e atletas, bem como do apoio de várias instituições públicas tais como Bombeiros Voluntários de Alpiarça, Junta de Freguesia de Alpiarça e obviamente a Câmara Municipal de Alpiarça. É com todos vós que conseguimos ser dinâmicos, ativos e também felizes!!
Acreditamos que ainda estamos no início dos nossos sonhos (por sinal, este mês fazemos 4 anos) e, até ao momento, organizámos várias atividades, entre as quais, destacamos o Campeonato Nacional de Estrada em junho de 2018 que promoveu a participação de 160 atletas de 15 clubes.
Já organizámos 2 Torneios da Amizade em Alpiarça, torneio de caráter regional e, este ano, vamos organizar o terceiro no dia 1 de junho!! A este torneio, associámos o nome de uma pessoa que, infelizmente já não se encontra entre nós e que foi imprescindível na implementação desta modalidade em Alpiarça: Vasco Pimenta d'Aguiar!!
Entre outras, organizamos também aulas abertas, a próxima é este mês dia 27, bem como ações várias de angariação de fundos para a nossa atividade.
Obrigado a todos os que têm contribuído para o nosso crescimento, para o nosso desenvolvimento, para a nossa felicidade!!!
«de Ana Paula Marques»

As Melhores Histórias Nascem aqui!



No dia 6 de abril, sábado, pelas 15h00
As Melhores Histórias Nascem aqui!
Vamos conversar sobre cidadania, respeito pelo outro e pelos animais,
saber como podemos proteger o ambiente e cuidar da nossa saúde através de pequenas mudanças nos nossos hábitos.
E ainda vamos cozinhar e comer coisas muito apetitosas
Participem, é gratuito!
O mundo vegano está a gerar grandes transformações sociais, adoptando um estilo de vida consciente, respeitador do ambiente, defendendo a abolição dos produtos animais e seus derivados no prato.
As Melhores Histórias Nascem aqui tem como mote o livro Cozinhar ComPaixão. As suas quatro autoras, Maria João Lima, Cristina Nunes, Maria Beatriz Vaudano e Ana Cristina Marques, professoras na Escola Secundária Professor José Augusto Lucas, Linda-a-Velha, decidiram dinamizar um projecto que defende um estilo de vida diferente. Do terreno da escola e do êxito que tem constituído junto dos alunos e dos professores, a ideia vai alargar-se a outras escolas portuguesas e este livro é um primeiro passo para expandir a iniciativa a todo o país.
«n: fnac.pt»

.

.