.

.

domingo, 25 de dezembro de 2016

ARTIGO DE OPINIÃO: XX Congresso Nacional da Juventude Socialista

Por:
Rodolfo Colhe
Presidente da Juventude Socialista
de Alpiarça
O ponto alto da vida de um partido ou juventude política é o seu congresso, a sua reunião magna onde os seus militantes se fazem ouvir. No passado fim-de-semana realizou-se o XX Congresso Nacional da Juventude Socialista na Póvoa de Varzim. Um congresso que teve como principal marca a eleição do Ivan Gonçalves secretário-geral da Juventude Socialista e do meu camarada e bom amigo Tiago Preguiça como Presidente da Comissão Nacional da JS. Ao Tiago só posso dar os parabéns e desejar muita sorte, sabendo que mesmo que essa sorte não apareça, o Tiago com toda a certeza irá realizar um grande trabalho como tem feito ao longo dos tempos nos diferentes cargos pelos quais tem passado. Ao Ivan Gonçalves desejo muita sorte até porque substituir um líder como o João Torres é uma tarefa hercúlea. Para a JS Ribatejo, o congresso foi bastante proveitoso não só pela eleição do Tiago mas também pela eleição de vários efetivos e suplentes em diferentes órgãos, como a Comissão Nacional da JS, o Concelho de Jurisdição e nos representantes da JS a comissão Nacional do PS. Para a JS Alpiarça representada no Congresso pela camarada e minha grande amiga Inês Martins e por mim próprio, foi de todo proveitoso, não só pelo enorme convívio com camaradas de todo o país, bem como pela enorme aprendizagem. Não sendo de todo um dos pontos de maior interesse foi para mim muito importante ser eleito num lugar efetivo nos 26 representantes da JS na Comissão Nacional do PS. É com muito gosto que irei representar a JS e Alpiarça num órgão da dimensão da Comissão Nacional do PS. Mas o congresso não é, minimamente, só as suas eleições e lugares apesar da espetacularidade das negociações que levam à finalização das suas listas. Quem acompanha a vida interna dos partidos saberá o quanto são renhidas e duras e se o Ribatejo tem elementos bem colocados nas listas deve-o não só ao muito trabalho mas também a acção do nosso Presidente Tiago Preguiça. As intervenções são, sem dúvida, o momento principal e para que se perceba bem estamos a falar de talvez 200 intervenções durante todo o tempo dos trabalhos, onde destaco as intervenções do João Torres, do Carlos César e do Primeiro-Ministro António Costa. Se na parte da manhã se destacaram as intervenções sentidas dos que abandonam a estrutura ou órgãos eleitos, a parte da tarde e noite (perceba-se que os trabalhos decorreram até perto das 02h00) ficou marcada pela discussão da Moção Global de Estratégia “ Do lado Certo da História” onde os militantes deram a sua opinião não só sobre a moção como também sobre a atualidade política, tendo eu tido também a oportunidade de intervir. Nessa minha intervenção tive a oportunidade de dizer que na minha opinião a “JS não é só a juventude partidária mais numerosa, é também a única que faz política”, “a grande diferença da JS é, indiscutivelmente, não se limitar a pegar numa causa e a torna-la num chavão”. Em relação às eleições autárquicas referi que “a JS tem a obrigação de mais uma vez deixar a sua marca mas não carregando bandeiras e colocando cartazes porque é nas autarquias que a luta começa e é lá que as medidas se sentem. E não nos podemos esquecer de onde vimos.”

Em suma o XX Congresso da Nacional da JS foi um grande sucesso, felizmente que numa época em que Alpiarça parece esquecida os jovens Alpiarcenses se fazem representar ao mais alto nível nacional.

Sem comentários:

Enviar um comentário